E se a Muralha de 'Game of Thrones' existisse na vida real?
119
Compartilhamentos

E se a Muralha de 'Game of Thrones' existisse na vida real?

Último Vídeo

Imagine uma estrutura gigante de gelo, com mais ou menos 200 metros de altura, quase 500 quilômetros de extensão e largura suficiente para 12 cavaleiros cavalgarem um ao lado do outro. Pois é, esta é a Muralha, uma barreira de gelo existente na série Game of Thrones que está lá, basicamente, para proteger Westeros de alguns invasores bem específicos: os Outros. 

É claro que todo fã já deve ter parado para pensar se uma construção dessas seria possível, e a resposta é um pouco decepcionante: infelizmente, uma barreira assim só existiria na ficção mesmo – pelo menos de acordo com Martin Truffer, glaciologista da Universidade de Alaska Fairbanks. Ele descobriu que o problema principal, na verdade, não é o tamanho, mas sim o material, já que o gelo iria acabar escorrendo em algum momento. 

1

Para realizar os cálculos, Truffer considerou o peso de uma muralha de gelo de aproximadamente 200 metros de altura iria gerar 1,8 megapascal, o que equivale a quase 120 quilos por metro quadrado de pressão na base. Comparando com o que ocorre na natureza, é preciso apenas 0,1 megapascal para o gelo escorrendo das geleiras. Já dá para imaginar os resultados, né? 

Além disso, o tempo que o gelo levaria para deformar a base da construção também iria depender da temperatura média do ar. Na série, sabemos que há florestas na região da Muralha, o que significa que o ar não é tão frio assim  a temperatura seria de, no máximo, 10 graus negativos. Assim, para Truffer, iria demorar no máximo alguns meses para a Muralha cair. E mesmo que a temperatura ideal fosse atingida, não levaria mais que alguns anos para que a barreira acabasse desmoronando. 

2

Pois é, tudo indica que, se Westeros realmente existisse na vida real, seria necessário descobrir outra forma de defesa que fosse um pouco mais duradoura. E menos gelada.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.