A história do serial killer da carinha sorridente
Seja o primeiro a compartilhar

A história do serial killer da carinha sorridente

Último Vídeo

Na série The Mentalist, o personagem Patrick Jane, de Simon Baker, é um detetive que tem entre os carmas de sua vida um bandido que comete assassinatos tenebrosos e sempre deixa para trás uma assinatura  uma smiley face, como esta:

Como se quisesse amenizar a gravidade de seus crimes, ele usa a carinha sorridente a fim de mostrar a todos sua capacidade de ser simpático. E, por mais mórbida que pareça essa alusão, ela não é exclusiva da ficção.

Entre 1997 e 2008, mais de 40 homens foram encontrados mortos em rios e lagos em mais de 25 cidades em 11 estados norte-americanos. Perto de cada uma das locações onde os homens mortos haviam desaparecido, um smiley na parede.

Assim como na série The Mentalist, o sorriso era uma assinatura de um serial killer. Ao menos essa é a teoria de dois detetives  Kevin Gannon e Anthony Duarte  que investiram tudo o que tinham em uma firma particular, depois de terem trabalhado juntos no Departamento de Polícia de Nova York.

O primeiro crime que eles atribuem ao Smiley Face Killer é a morte de Patrick McNeill, um estudante nova-iorquino de 21 anos que desapareceu em 16 de fevereiro de 1997 depois de sair de um bar em Manhattan. Ele foi encontrado em um rio perto do Brooklyn em 7 de abril.

Próximo ao bar The Dapper Dog, onde o jovem havia sido visto pela última vez, lá estava ele: o sorrisinho pintado na parede. Embora a morte parecesse acidental, o policial encarregado não se convenceu com a justificativa, e nada tirou o crime da sua cabeça nos anos seguintes. Em 2001, quando se aposentou, começou as investigações independentes.

Tudo no caso de McNeill indicava um assassinato: seu corpo estava em uma posição inconsistente com afogamento acidental, ele tinha lacerações no corpo que apontavam que havia estado amarrado, e os policiais acreditavam que ele havia sido drogado.

Essas condições eram compartilhadas com outros quatro crimes ocorridos em Minnesota e Wisconsin em 2003, algo que os policiais só descobriram anos depois. Foi aí que eles começaram a desenvolver a teoria do Smiley Face Killer, buscando outros casos que tivessem características semelhantes em outros estados.

Desacreditados pela polícia, no entanto, dois investigadores não chegaram muito longe; e, se havia um assassino em série Smiley Face, ele está solto até hoje.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.