Mistério em Portland: o curioso desaparecimento dos Martin

Mistério em Portland: o curioso desaparecimento dos Martin

Último Vídeo

Era uma manhã de 7 de dezembro de 1958 em Portland, Estados Unidos, quando a família Martin desceu para tomar café antes de deixar a casa para uma viagem de compras para o Natal.

Por volta das 13 horas, Kenneth Martin (54) e a esposa, Barbara Martin (48), embarcaram no carro, um Ford Country Square, acompanhados de suas filhas Barbara (14), Virginia (13) e Susan (11). O horário escolhido por Kenneth foi considerado estranho, visto que era uma viagem longa para um dia de inverno e o homem detestava dirigir à noite.

Mesa posta

(Fonte: Oregon Arts Watch/Reprodução)
(Fonte: Oregon Arts Watch/Reprodução)

Muita gente viu a família indo em direção à Garganta do Rio Columbia, inclusive testemunhas viram Kenneth na margem norte do rio vestindo jaqueta bege com zíper e calças escuras, segundo declarações.

Eram aproximadamente 16 horas quando Dean Baxter, um frentista de posto de gasolina em Cascade Locks, relatou que o carro da família parou para abastecer. Kenneth comprou cinco galões de gasolina, pagou com o cartão de crédito, entrou no veículo e rumou para o leste. Uma hora mais tarde, a garçonete Clara York serviu os Martin no Paradise Snack Bar, localizado em Hood River. Ela disse que todos estavam felizes e sorridentes e não paravam de comentar sobre a viagem natalina.

Em 8 de dezembro, Taylor Eccles, o chefe de Kenneth na Eccles Eletric Home Service, telefonou para o homem depois que ele não apareceu para trabalhar, mas não foi atendido. Kenneth nunca faltava ou tirava um dia de folga sem antes avisá-lo, por isso Eccles estranhou e ligou para a polícia.

(Fonte: Pinterest/Reprodução)
(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Policiais foram até a casa da família para investigar se tudo estava bem por lá e perceberam que a louça do café da manhã ainda estava espalhada pela mesa, havia utensílios no escorredor e uma roupa de Papai Noel pendurada no sofá, pois Kenneth tinha o hábito de se fantasiar de Bom Velhinho para fazer a alegria das crianças do bairro.

Quando mais um dia se passou, policiais dos condados de Multonomah e de Hood River iniciaram uma investigação para determinar o paradeiro da família.

O que aconteceu com os Martin?

(Fonte: Youtube/Reprodução)
(Fonte: Youtube/Reprodução)

Durante a investigação, encontraram um Chrevrolet branco com registro de Los Angeles, mas roubado na Califórnia, abandonado em Cascade Locks, no mesmo dia em que a família desaparecera. Tentando ligar os fatos, eles descobriram em um depoimento de Clara York que dois homens que não aparentavam ser da região foram embora logo que os Martin saíram do restaurante onde trabalhava.

No dia seguinte, a polícia prendeu Roy Light e seu cúmplice pelo roubo do Chevrolet. Ambos já tinham passagem pela polícia, porém não foi possível estabelecer uma conexão com a família.

Menos de uma semana depois, uma mulher chamada Bonnie Cocks foi até o departamento de polícia de Hood River entregar uma pistola Colt Commander de calibre 38 coberta de sangue seco que seu marido teria encontrado na floresta em Cascade Locks, a poucos metros de onde o Chevrolet havia sido abandonado.

Donald Martin. (Fonte: KOIN/Reprodução)
Donald Martin. (Fonte: KOIN/Reprodução)

Os policiais descobriram que o revólver havia sido registrado pela loja de departamentos Meir & Frank, cujo proprietário revelou que aquela arma tinha sido roubada há alguns anos por Donald Martin, o filho mais velho do casal Martin. Na ocasião, o jovem também furtara o equivalente a US$ 2 mil em mercadorias antes de ser demitido.

Donald rapidamente se tornou um suspeito, principalmente porque familiares confessaram que ele tinha um relacionamento tenso com os pais, entretanto, na época em que desapareceram, Donald estava a quilômetros de distância, em uma base da Marinha dos Estados Unidos, em Nova York, e se recusou a voltar para Portland para acompanhar a investigação. Ele foi interrogado por telefone, mas seu depoimento não levou a nada.

O peso morto

(Fonte: KOIN/Reprodução)
(Fonte: KOIN/Reprodução)

Em 28 de dezembro, uma luva feminina, parecida com algo que Barbara usaria, foi encontrada na área próxima de onde o Chevrolet e o revólver estavam, contudo, a pista não levou a lugar algum.

Em fevereiro de 1959, um morador voluntário na investigação descobriu marcas de pneus que iam até um penhasco perto da Cidade de Dalles. Amostras foram coletadas e enviadas para o FBI para análise e foi comprovado serem compatíveis com os pneus do carro da família. Com a possibilidade de o automóvel ter mergulhado no rio, o Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA baixou o nível da água da Represa Bonneville em 1,5 metro para que fosse revistada por um sonar, entretanto, novamente, nada foi encontrado.

(Fonte: History Oregon Project/Reprodução)
(Fonte: History Oregon Project/Reprodução)

No começo de maio, uma sonda de perfuração atingiu algo no fundo do rio de Dalles: operadores tentaram içar o objeto, porém ele acabou afundando de volta. No dia seguinte, um pescador e sua esposa viram dois corpos flutuando no rio perto de Cascade Locks, quando um dos cadáveres atingiu a margem norte do rio Columbia. A perícia descobriu pela dentição que se tratava de Susan Martin, a filha mais jovem da família. Virgínia foi encontrada no dia seguinte na represa Bonneville, a 48 km de distância de Susan, e o laudo médico determinou que ambas morreram afogadas.

O delegado concluiu que a sonda de perfuração teria atingido o carro da família e removido uma das portas, permitindo que os corpos das duas garotas emergissem, entretanto, mesmo a área sendo revistada mais uma vez, eles não conseguiram encontrar mais nada.

Filho ingrato

(Fonte: All Events in City/Reprodução)
(Fonte: All Events in City/Reprodução)

Os outros membros da família nunca foram localizados e as irmãs foram enterradas lado a lado no cemitério local. A questão que perdura é: o que aconteceu com a família naquele fatídico 7 de dezembro de 1958?

Como o carro pode ter parado no fundo do rio? À princípio, foi cogitado que Kenneth poderia ter perdido a direção do veículo, porém não havia marcas de frenagem na floresta e o terreno era plano demais para cogitar a hipótese de falha nos freios.

Não foi possível impedir que as pessoas especulassem sobre como Donald Martin parecia suspeito em meio a isso tudo, ainda mais por ele sequer se dar o trabalho de prestar condolências às próprias irmãs no sepultamento, aparecendo meses depois para liquidar a propriedade como único beneficiário.

(Fonte: Newspappers/Reprodução)
(Fonte: Newspappers/Reprodução)

Teria ele contratado os ex-presidiários investigados para que dessem um fim nos pais? Afinal de contas, como a arma que ele roubara foi parar no mesmo local onde os criminosos abandonaram o veículo?

Até para os investigadores era coincidência demais, porém a falta de provas impediu que eles fizessem qualquer tipo de acusação. Enquanto isso, Donald Martin se mudou para o Havaí, onde se casou e teve filhos, tendo uma vida boa até falecer em meados de 2004. Ele nunca falou sobre o que aconteceu com sua família, mas os habitantes de Portland nunca se esqueceram deles.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.