O estilo da androginia na moda

O estilo da androginia na moda

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Androginia é uma palavra grega que significa a combinação visual entre masculino e feminino, e pode significar qualquer coisa, desde David Bowie usando um macacão reluzente à Patti Smith com um jeans desgastado ou o maquiado Brian Molko da banda Placebo. Na moda, isso é o que acontece quando o vestuário feminino abraça o masculino e vice-versa.

Tantas passagens importantes citam a androginia em livros da história da moda como, por exemplo, o smoking de Yves Saint Laurent e a marca japonesa Comme des Garçons, que traduzida do francês significa “Como garotos”. Mas a apropriação da moda masculina pelas mulheres foi calcada por duas atrizes pioneiras – Katherine Hepburn e Marlene Dietrich.

A primeira exibia um tipo de androginia leve, seu gosto por calças amplas ajudou a populariza-las no vestuário feminino, mas outros elementos de seus looks, como suéteres ajustados e blusas, eram popularmente femininos. Dietrich, por outro lado, adotou totalmente a alfaiataria e a converteu em seu look registrado, sendo frequentemente fotografada em conjuntos com cortes complexos e vivazes, geralmente acompanhados de um chapéu.

A icônica atriz alemã Marlene Dietrich em um terno branco - Fonte: Reprodução/Farfetch

[url=http://www.farfetch.com.br/people/man-i-feel-like-a-woman.aspx][/url]

A atriz americana Katharine Hepburn em seu look registrado: calças de alfaiataria - Fonte: Reprodução/Farfetch

[url=http://www.farfetch.com.br/people/man-i-feel-like-a-woman.aspx][/url]

Conforme o século 20 avançava, este estilo foi escolhido por nomes como Annie Lennox, vocalista da Eurythmics, que usava cabelos bem curtos com camisas e calças bem andróginas. Com o aumento do poder do vestuário e o surgimento de marcas japonesas que rejeitaram os estabelecidos ideais de beleza feminina, os anos 80 observaram a androginia se estabelecer completamente como uma promessa da indústria da moda.

Marlene Dietrich e Annie Lennox - Fonte: Reprodução/Farfetch

[url=http://www.farfetch.com.br/people/man-i-feel-like-a-woman.aspx][/url]

Marcando presença nos desfiles desde então, o próximo outono/inverno internacional não é exceção. A alfaiataria masculina no vestuário feminino tende a funcionar melhor em coleções de inverno por causa do clima frio, que permite o uso dos tecidos pesados e também das sobreposições.

Para os dias gelados, podemos apostar em tamanhos oversized, mas sem exageros, conjuntos com calças pantalonas e sobretudos, duas das peças mais encontradas nas passarelas. Na Hermès, Christophe Lemaire foi fiel à proposta de Dietrich, com conjuntos em cinza grafite combinados em camisas muito brancas e gravatas em seda, completado chapéus joviais. Já Junya Watanabe adotou um caminho mais simples e minimalista, com conjuntos masculinos lisos e bem feitos, com o colarinho abotoado e sapatos brogue.

Outono/Inverno 12: Hermès e Junya Watanabe - Fonte: Reprodução/Farfetch

Na Maison Martin Margiela as apostas foram corajosas e confiantes na masculinidade. Com casacos amplos e calças com pregas precisas na cor que é a assinatura da casa, o preto. Os cortes e detalhes eram mais femininos que o usual nesta tendência, mas os looks em geral possuíam um ar macho-alfa.

Paul Smith fez seu nome como alfaiate, então não seria uma surpresa que sua coleção feminina pegasse emprestado muito de sua experiência. Experimentando com tweed e ricos tons de chocolate ele fez casacos soltos semelhantes à robes e calças masculinizadas.

Outono/Inverno 12: Maison Martin Margiela e Paul Smith - Fonte: Reprodução/Farfetch

Mas antes que mergulhemos de cabeça nas peças andróginas da próxima temporada, vamos nos lembrar do que podemos ou não fazer:

- Tenha certeza de que suas roupas sejam do seu tamanho, senão vai parecer que você está se transvestindo;

- Não use um conjunto sem nada por baixo;

- Seja cuidadosa ao experimentar com tecidos e texturas – essas peças tendem a cobrir muito do corpo então têm o potencial de ser visualmente fortes demais;

- Não ache que se manter fiel à tradicional paleta masculina de azul marinho, cinza e preto é chato – elas são tão usadas porque funcionam muito bem e ainda são atemporais e lisonjeiras;

- Mantenha os acessórios femininos, lembre-se que a androginia é uma mistura do vestuário feminino e do masculino.

Fonte: Farfetch por Hollie Moat

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.