Primeira infância: você sabe o que é?
16
Compartilhamentos

Primeira infância: você sabe o que é?

Último Vídeo

A primeira infância do seu filho vai desde o momento em que ele ainda está na barriga, durante a gestação, o parto, e os anos seguintes, até o período em que ele inicia na educação formal. Como aqui no Brasil esse passo é dado mais ou menos aos seis anos de idade, é comum que este seja o limite para a definição de primeira infância.

Dos zero até os seis anos de idade, o cérebro da criança estabelece mais conexões entre os neurônios, que são base do aprendizado, do raciocínio e das relações humanas não só durantes os primeiros anos, mas por toda a vida. Até os quatro anos, estima-se que as crianças tenham atingido metade do potencial intelectual que possuem. Pode não parecer, mas mesmo as experiências que acontecem antes do nascimento refletem nestas consequências. 

Entre os acontecimentos e as capacidades que o seu filho desenvolve durante a primeira infância, estão o crescimento físico, os movimentos do próprio corpo, o amadurecimento do cérebro, a aquisição da linguagem, habilidades adaptativas e aspectos sociais e emocionais. Cada passo desta pequena evolução humana está conectado com os demais e é totalmente influenciado pelo ambiente em que seu filho vive. Neste ponto, o quarto do bebê é indispensável. Ele vai começar a perceber que tem o espaço dele e que pode ter e manter sua individualidade. Nem que seja para pequenas coisas.

SITUAÇÕES EXTREMAS

Ao habitar em condições favoráveis para o desenvolvimento, as crianças têm mais chances de tornarem-se adultos equilibrados, produtivos e realizados. Entretanto, a falta de oportunidades para o pleno desenvolvimento na primeira infância pode trazer consequências irreparáveis na vida do seu filho. A negligência e a violência são consideradas crimes de maus-tratos contra as crianças, e é por isso que as mamães e os papais devem cuidar e dar atenção adequada aos pequenos.

No Brasil, 45% das famílias que têm crianças na primeira infância em casa vivem com apenas meio salário mínimo per capita. As crianças em situação de pobreza apresentam altas taxas de mortalidade e desnutrição, não têm registro civil e sofrem violência doméstica. Em alguns lugares, ainda, a criança não chega a frequentar a escola quando finalmente completa os seis anos de idade.

São situações que a maioria dos pais e das mães não gostaria de oferecer a suas crianças, mas, por uma série de motivos, acabam inibindo o desenvolvimento adequado dos filhos, e, muitas vezes, não têm ideia dos malefícios que podem acontecer no futuro.

O DESENVOLVIMENTO FASE A FASE

O desenvolvimento tem um momento certo para acontecer em cada criança. A hora de dar os primeiros passos, falar as primeiras palavras, reconhecer expressões e tons de voz... Por isso, nada de ficar comparando o seu bebê ao do vizinho!
Abaixo, você fica sabendo o que normalmente acontece no desenvolvimento do seu filho, etapa por etapa:

0-2 anos

Visão: Desde os quatro meses de idade, os bebês já são capazes de fazer o reconhecimento visual.

Audição: Ainda durante a gravidez, a criança já consegue reconhecer a voz da mãe e as interações, embora a compreensão ainda não seja possível.

Linguagem: Durante toda a fase, a linguagem vai se desenvolvendo, inicialmente com choros e grunhidos, e depois com sons mais elaborados.

Funções cognitivas: As funções mais apuradas, como planejar uma ação, acontecem por volta dos dois anos de idade.

Nessa fase de vida do seu filho, ele deve ser estimulado para o pleno desenvolvimento. O contato físico é essencial para que a criança reconheça sua própria independência, e o acesso a objetos de cores, formatos e texturas variadas ativa os sentidos e as habilidades motoras, assim como engatinhar. Conversar com seu filho, ensinar o nome das coisas e ler livros, além de reforçar os vínculos, incentiva o prazer do conhecimento e da leitura.

3-4 anos

Linguagem: O número de sinapses no cérebro da criança ainda é intermediário nesta fase.

Funções cognitivas: Estas funções vão ficando cada vez mais refinadas nesta idade. 

Neste período, é aconselhável estimular a autonomia da criança. Comer com talheres e vestir as próprias roupas dará mais segurança aos pequenos na hora em que eles estiverem longe dos pais. Ensinar regras de comportamento também será benéfico para estes momentos. Também é positivo oferecer cada vez mais oportunidades e espaços em que seus filhos possam brincar, explorar e ler, pois isso fará com que eles resolvam situações que exigem esforço físico, intelectual ou emocional.

5-6 anos

Visão, linguagem e audição: A quantidade de sinapses diminui. Você vai notar que o seu filho já possui um ótimo repertório relacionado a estas habilidades.

Funções cognitivas: Ainda em formação, as atividades que exigem estas funções vão se desenvolvendo cada vez melhor.

Os estímulos desta fase vão desde o estabelecimento (e cumprimento) de rotinas à prática de esporte. Com isso, seu filho vai aprender a ter responsabilidades, a interagir socialmente e a conquistar objetivos. É importante também deixá-lo à vontade para decidir o que fazer no tempo livre, pois isso ajuda a compreender a própria identidade e traz bem-estar.

Caso os pais observem atraso em alguma dessas capacidades, mesmo quando todos os estímulos forem oferecidos e a criança estiver cercada de atenção, é melhor levá-la ao pediatra. Na maioria dos casos, não há nada de errado; é apenas o tempo de amadurecimento biológico individual do seu filho agindo, mas é sempre bom ter o parecer do especialista se houver dúvidas.

A primeira infância do seu filho deve ser um período de muito amor. A interação, não só em família, mas também com a comunidade em que o pequeno está inserido, é capaz de influenciá-lo desde muito novinho e oferecer estrutura por toda a vida. A partir destas experiências é que o desenvolvimento do seu filho vai deslanchar e logo logo você terá saudades de quando ele ainda estava na sua barriga.

Via assessoria

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.