Engenharia culinária: veja as torres de salada que eram moda na China
16
Compartilhamentos

Engenharia culinária: veja as torres de salada que eram moda na China

Último Vídeo

Pode confessar! Pelo menos uma vez na vida você deve ter ido a um desses restaurantes com buffet livre com a intenção de comer tudo o que fosse possível para fazer valer o seu dinheiro, não é mesmo? Pois na China essa era uma ideia fixa dos consumidores que iam ao Pizza Hut, pois, por lá, só era permitido se servir de salada uma única vez. Mas a rede de restaurantes não contava com a engenhosidade dos chineses... Dê só uma olhadinha:

Fonte da imagem: Reprodução/Kotaku

Como havia um limite para o número de “viagens” ao buffet de saladas — mas não havia uma regra restringindo a quantidade de comida servida —, os consumidores acabaram se transformando em verdadeiros engenheiros culinários, criando intrincadas torres de ingredientes! Imagens das complexas pilhas de comida começaram a circular pela internet, além de vídeos demonstrativos e instruções de como produzir esses pratos. Confira outra estrutura:

Fonte da imagem: Reprodução/Kutaku

De acordo com os “engenheiros”, para dar mais estabilidade às criações o melhor era começar com ingredientes mais firmes, como pepinos, cenouras e torradas, e a troca de dicas sobre as melhores técnicas de construção era bastante comum. A questão das torres se tornou bem séria e, eventualmente, a rede decidiu eliminar os buffets de salada das unidades, levando muita gente a acreditar que a intenção fosse conter o abuso dos clientes. Veja outra pilha:

Fonte da imagem: Reprodução/Kutaku

Hoje a Pizza Hut conta com mais de 750 unidades na China, e alguns restaurantes — a maioria concentrada em Pequim — ainda contam com buffets de salada, pois, por sorte, a moda das torres acabou passando. E você, leitor, o que acha? Se a rede permitisse que os consumidores fossem mais vezes ao buffet, você acredita que eles continuariam se servindo de tantos ingredientes assim?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.