10 fatos inusitados sobre os parques da Disney
381
Compartilhamentos

10 fatos inusitados sobre os parques da Disney

Último Vídeo

A primeira Disneylândia foi inaugurada em 1955 na Califórnia e, desde então, uma visita a esse e aos outros parques principais — nos Estados Unidos, Paris, Hong Kong e Japão — tornou-se uma espécie de marco na vida de milhares de crianças e também adultos, que voltam à infância em meio a um mundo encantado de atrações, personagens, brinquedos e lojinhas tentadoras.

A Disney também possui outros parques temáticos e resorts, que recebem uma multidão de turistas no ano inteiro. Com essas megaestruturas, é impossível manter a magia o tempo todo e alguns fatos curiosos acontecem nesses lugares. O site List Verse reuniu dez acontecimentos curiosos relacionados aos parques da Disney. Confira abaixo.

10. Mousewitz

Embora descrito por muitos visitantes como "o lugar mais feliz na terra", essa fantasia da Disneylândia pode não se encaixar muito bem para os seus funcionários que se sentem escravizados no trabalho intenso. Em 2010, alguns trabalhadores da Disneylândia de Paris apelidaram o lugar de “Mousewitz”: um trocadilho do nome do personagem Mickey Mouse com o campo de concentração de Auschwitz.

Isso porque a carga de trabalho deles — que é bastante puxada e com poucas chances de crescimento — aumentou e houve acontecimentos trágicos. Nessa época, três funcionários cometeram suicídio, sendo que um deles, antes de se enforcar, escreveu uma mensagem em uma parede do parque dizendo: “Je ne veux pas retourner chez Mickey" (Eu não quero voltar para a casa do Mickey).

9. Reino Encantado do Sutiã

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Quando foi inaugurada, em 1955, a Disneylândia tinha patrocínio de outras empresas para manter a rotatividade financeira. Um dos patrocinadores era uma rede de lojas de roupas íntimas que abriu uma filial dentro do parque.

Metade da loja era dedicada à venda de lingerie moderna, enquanto a outra parte continha um museu sobre a história da roupa íntima. Nessa parte, havia uma galeria com um boneco articulado vestido de mago vidente com um turbante, chamado The Wizard of Bras (“O Mágico dos Sutiãs”). Talvez por isso, ou não, a loja fechou em seis meses.

8. Homenagem póstuma

Pode apostar que tem muita gente por aí que deseja que suas cinzas sejam jogadas em um parque da Disney. Em novembro de 2007, câmeras de segurança flagraram uma mulher despejando uma substância desconhecida durante o passeio dos "Piratas do Caribe" no parque da Califórnia.

A polícia de Anaheim (cidade onde fica o parque) identificou a substância como restos humanos cremados. Algumas pessoas chegam a pedir à Disney uma permissão oficial para jogar as cinzas de mortos, sendo que o local mais procurado é a Mansão Mal-Assombrada, mas a resposta para os pedidos é sempre negativa.

7. Club 33

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Dentro do parque da Disneylândia da Califórnia, existe uma rua dedicada à cidade de New Orleans. É nesse local que uma porta verde com o número 33 abriga um dos clubes mais elitistas e exclusivos de todo o mundo, com uma lista de espera de mais de 10 anos.

O Club 33 foi a resposta de Walt Disney para os pedidos de uma sala VIP dentro do parque, que traz um bar requintado e um restaurante em uma mansão de estilo colonial. Este é o único lugar em toda a área da Disney onde o álcool pode ser comprado pelos associados. Há rumores de que Tom Hanks e Jack Nicholson já foram vistos por lá.

6. Gatos funcionários

Manter os parques limpos e organizados não é tarefa fácil. Talvez por isso, a Disneylândia conta com a ajuda de alguns felinos para caçar possíveis roedores de plantão. São cerca de 200 gatos selvagens, que vagam pelos parques durante a noite para perseguir todos os ratos — menos o Mickey, é claro. Vale ressaltar que os animais são bem tratados com alimentação e cuidados veterinários.

5. O fim dos Beatles

Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail

Brigas e traições marcaram o fim dos Beatles. Em 1970 o grupo acabou, mas as discussões litigiosas se estenderam até o finalzinho de 1974, quando houve a dissolução legal do quarteto. Em 29 de dezembro daquele ano, enquanto estava de férias no Polynesian Resort da Disney, na Flórida, com sua namorada da época May Pang (no ano seguinte ele se reconciliou com Yoko Ono), John Lennon finalmente assinou a papelada que definiu o fim dos Beatles.

4. Família Kim Jong

Durante décadas, os líderes da Coreia do Norte ficaram conhecidos por cometerem extravagâncias com dinheiro e diversão. Um exemplo mais recente é o atual líder Kim Jong-Un e seu irmão, Kim Jong-Chul, que visitaram a Disneylândia de Tóquio como crianças usando identidades falsas.

3. Richard Nixon

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

Um dos presidentes norte-americanos mais conhecidos, principalmente pelo caso Watergate, foi também um grande fã da Disneylândia. Richard Nixon visitou o parque da Califórnia pela primeira vez com a sua família logo após a inauguração em 1955. Mas a sua visita mais famosa foi no dia 17 de novembro de 1973, em um hotel da Disney World na Flórida, onde ele disse a frase: “Eu não sou um bandido”, tentando se defender das acusações de corrupção. Nove meses depois, ele renunciou a presidência dos Estados Unidos.

2. “Flash” Mountain

O nome verdadeiro da atração é Splash Mountain; entretanto, houve uma época em que os flashes da descida do barquinho, que cai na água, se tornaram alvos de nudez. Isso porque algumas mulheres começaram a brincadeira de levantar a blusa na hora que o carrinho faz a descida. É nesse momento que as câmeras da atração batem as fotos com as expressões das pessoas para serem vendidas na saída, como uma forma de lembrança divertida.

O problema dos “flashes obscenos” começou na década de 1990 e causou incômodo nos dirigentes e no público, pois a Splash Mountain é uma atração também para crianças. Porém, percebendo os fatos, logo a Disney passou a treinar os funcionários para eliminar as fotos e a frequência de aparições dos seios diminui.

1. Assédio dos bonecos

Fonte da imagem: Reprodução/List Verse

No calor do encantamento com o Mickey, Donald, Pateta e muitos outros bonecos, muita gente até esquece que dentro deles existe uma pessoa comum, de carne e osso, e hormônios que podem estar à flor da pele. E essas pessoas travestidas podem perder o controle, assediando os visitantes do parque.

Um dos casos aconteceu em 1976, quando uma mulher entrou com uma ação alegando que um dos Três Porquinhos a agarrou. Em 2004, o ator que se vestia com o personagem Tigrão (da turma do ursinho Pooh) foi absolvido da acusação de molestar uma menina de 13 anos de idade e sua mãe. E em 2011, a Disney resolveu fora dos tribunais um caso de uma mulher que afirmou que um homem em um traje de Pato Donald agarrou seus seios.

Entretanto, o contrário também pode acontecer. Em 2009, um visitante de 60 anos chamado John Moyer foi acusado por apalpar uma mulher que estava com o traje da personagem Minnie Mouse na Disney World.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.