Boato sobre navio fantasma cheio de ratos canibais é falso
80
Compartilhamentos

Boato sobre navio fantasma cheio de ratos canibais é falso

Último Vídeo

É possível que, durante esta semana, você tenha se deparado com uma notícia de que um navio fantasma repleto de grandes ratões canibais esteja prestes a colidir na costa das Ilhas Britânicas, mais precisamente na Irlanda, causando uma ameaça à população. Porém, tudo isso não passa de especulação — pelo menos a parte dos ratos canibais.

O Lyubov Orlova é um navio iugoslavo de passageiros que foi construído em 1976 e que, depois de uma longa carreira em cruzeiros de curtas rotas internacionais, parou as suas atividades há alguns anos.

Desde 2010, o navio estava atracado em St. John, no Canadá, já em mau estado e abandonado. Então, apenas em 2012, a embarcação foi vendida como sucata para a Neptune International Shipping Inc., de Tortola, nas Ilhas Virgens Britânicas.

Destino à deriva

Fonte da imagem: Reprodução/Mercopress

Finalmente, no dia 23 de janeiro de 2013, o navio deixou St. John rebocado com destino à República Dominicana, local onde deveria ser desmontado e aproveitado de alguma forma. No entanto, algo deu errado e os cabos do reboque se romperam devido ao mar agitado no dia seguinte da partida. Então, a embarcação ficou à deriva.

Houve tentativas de recuperar o reboque, porém nada adiantou e o navio ficou solto no Atlântico Norte para iniciar uma jornada que ninguém sabia onde iria parar.

Dessa forma, como o navio estava em águas internacionais, o governo canadense concluiu que ele não estava mais sob a sua jurisdição e que o seu destino era de responsabilidade exclusiva de seu proprietário, deixando-o abandonado à deriva como um navio fantasma.

Eis que, por muito tempo, o paradeiro do navio ficou desconhecido, mas ele foi encontrado recentemente perto da costa irlandesa. Foi então que começaram os boatos sobre os ratos canibais.

Esclarecimentos

De acordo com algumas notícias sensacionalistas que estão correndo a internet, o navio se chocaria em alguma parte da costa britânica, enquanto os roedores assassinos (e piratas), do tamanho de gatos, desceriam e invadiriam as cidades próximas, atacando a população. E, a cada nova manchete, os ratos tornavam-se cada vez maiores. Mas será que as informações procedem?

Segundo o The Guardian, obviamente que não. O jornal conversou com Chris Reynolds, diretor da guarda costeira irlandesa, que explicou que a guarda foi alertada sobre a possibilidade de um navio abandonado estar seguindo em direção à costa já em março de 2013.

"Nós tínhamos um projeto de previsão de deriva de três meses usando satélites e imagens de radar, tentando localizar o navio. Com isso, fizemos alguns trabalhos de simulação, que mostraram que ele poderia estar se dirigindo para a Noruega ou o sul da Inglaterra. Mas o navio tinha seus monitores de transmissão desligados. Então, era difícil estar 100% certo”, afirmou Reynolds.

A razão de tanta confusão é que um navio de 4 mil toneladas abandonado ao mar pode ser perigoso para outras embarcações de cruzeiro e petroleiros no mar, especialmente quando está escuro. Além disso, o navio também poderia ficar preso em plataformas de petróleo. Reynolds acredita, no entanto, que o navio deve colidir com algumas rochas ou afundar em breve.

Coisa de filme?

Fonte da imagem: Shutterstock

E a história dos ratos canibais? Bem, isso pode ter surgido com a cena do filme de “007, Operação Skyfall”, em que o vilão brinca com James Bond, relatando uma história de sua infância sobre como acabar com ratos em barcos de pesca, transformando-os em roedores assassinos que praticam canibalismo.

Em resposta à famosa história, a Dra. Penny Hawkins, diretora científica da entidade britânica de apoio a animais RSPCA, explica que "os ratos têm uma fama muito ruim e isso não ajuda. Estes são animais que realmente respondem uns aos outros em uma situação de stress”. No entanto, a pesquisadora explica que, em uma situação crítica, eles não são propensos a comer uns aos outros.

Então, de onde que veio tanta imaginação para essa história? De acordo com o The Guardian, algo foi mencionado pela primeira vez no ano passado no jornal Irish Independent, quando o próprio diretor da guarda costeira, Chris Reynolds, teria dito: "O navio estava ao lado do porto em Newfoundland, então presumimos que há ratos a bordo, e isso é um perigo biológico. Nós não queremos que ratos de navios estrangeiros entrem em solo irlandês".

Para o The Guardian, essa é a explicação de como uma única fonte levou a uma história que se tornou viral. Ah, e o navio solitário e abandonado virou até personagem, ganhando um perfil no Twitter

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.