(Fonte da imagem: Reprodução/Flickr )

Nos anos 40, em plena Segunda Guerra Mundial, o Governo dos Estados Unidos decidiu fundar uma cidade secreta no Tennessee — como parte do Projeto Manhattan. Totalmente planejada, Oak Ridge foi projetada pela empresa de arquitetura Skidmore, Owings & Merril, tendo um importante papel no desenvolvimento da bomba atômica. O principal objetivo de sua existência era a separação de urânio.

Segundo revelações feitas pelo site A Continuous Lean, a localidade “Top Secret” tinha uma população de 70 mil habitantes, distribuída em uma área de mais de 28 mil metros quadrados. Ela contava com uma infraestrutura impressionante, que incluía fábricas enormes, escritórios administrativos e qualquer outra instalação que uma cidade normal precisa para funcionar. Até a escolha do nome “Oak Ridge” tinha como propósito manter os curiosos afastados, e a cidade era totalmente cercada e vigiada por sentinelas armados.

Primeiro reator de uso contínuo do mundo

O Laboratório Nacional de Oak Ridge foi criado como uma planta-piloto para a produção de plutônio através do uso do Reator de Grafite X-10, primeiro reator do mundo a ser projetado para operar de forma contínua.

O Departamento de Energia de Oak Ridge iniciou a digitalização do arquivo de imagens, disponibilizando os registros históricos no Flickr. A única pessoa que tinha permissão para fotografar a cidade e seus habitantes era Ed Westcott, e todas as imagens eram meticulosamente encenadas. Você pode conferir algumas fotografias da época na galeria abaixo.