Humilhante: veja como o Exército turco lida com os homens gays do país
496
Compartilhamentos

Humilhante: veja como o Exército turco lida com os homens gays do país

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

O serviço militar é mandatório para todos os homens em muitos países — e, em alguns casos, inclusive para as mulheres! Na Turquia, todos os cidadãos do sexo masculino devem se apresentar ao Exército a partir dos 20 anos de idade — e só se livram de cumprir com suas obrigações militares aqueles que sofrem de alguma doença grave, de deficiência física ou que conseguem provar que são homossexuais.

Entretanto, de acordo com Emre Azizlerli, da BBC, provar a própria homossexualidade para médicos e comandantes do Exército turco não é uma tarefa nada simples. Na verdade, segundo contaram alguns homens que passaram por essa — incrivelmente — constrangedora experiência, convencer os militares quase sempre envolve situações profundamente humilhantes.

Lidando com tabus

A Turquia, como você deve saber, é um país muçulmano e, portanto, algumas questões — como é o caso da orientação sexual — ainda são consideradas tabus. Por lá, ao contrário do que acontece com outros países seguidores do islã, não existem leis específicas contra a homossexualidade e, por sorte, ao longo dos anos, especialmente nas grandes cidades, os gays estão se tornando gradativamente mais presentes.

Contudo, enquanto em Istambul diversos cafés e clubes voltados para o público gay foram inaugurados recentemente, em cidades menores e regiões mais remotas do país assumir a homossexualidade publicamente é algo simplesmente impensável. No Exército, a orientação sexual dos militares é uma questão bem problemática.

Invasão de privacidade

Segundo Emre, as exigências basicamente dependem da boa vontade dos militares, mas geralmente envolvem a realização de testes de personalidade e a apresentação de fotografias . No caso de um rapaz identificado pela BBC como Ahmet, ele informou aos oficiais a respeito de sua orientação sexual já durante os exames médicos preliminares. Conforme contou, ele teve que informar se gostava de futebol e se costumava usar roupas ou perfume feminino.

Para piorar, os militares pediram que Ahmet apresentasse uma foto dele vestido de mulher — mas, o turco fez melhor: ele entregou uma imagem sua beijando outro homem.

Outro rapaz — identificado pelo nome de Gokhan —, que se apresentou ao serviço militar ainda nos anos 90, até tentou esconder sua orientação sexual quando ingressou no Exército. Segundo disse, ele temia sofrer agressões por parte dos demais jovens, mas, quando finalmente reuniu a coragem necessária para revelar ao seu comandante que era gay, o militar pediu a ele que mostrasse fotografias que comprovassem sua homossexualidade.

Gokhan contou que apresentou uma imagem na qual aparecia fazendo sexo — e adicionou que, para que as “provas” sejam aceitas, o rosto deve estar visível, e o turco que buscava dispensa militar precisaria aparecer como passivo. As imagens convenceram os médicos e comandantes, mas, evidentemente, a situação, além de desnecessária, foi muito, muito desagradável.

Justificativa

A BBC também conseguiu conversar com um general aposentado do Exército turco chamado Armagan Kuloglu, que explicou que não existe qualquer problema com militares que escondem sua orientação sexual.

Entretanto, de acordo com ele, a presença de homossexuais nas Forças Armadas é vista como uma dificuldade, já que cria a necessidade de que sejam disponibilizados banheiros, dormitórios e outras facilidades para o uso exclusivo desses homens. Segundo o general, as medidas servem para evitar que homens heterossexuais digam que são gays só para receber a dispensa de cumprir o serviço militar.

Já um psiquiatra que conversou com a BBC disse que os médicos que trabalham para o Exército estão sob uma enorme pressão, pois precisam diagnosticar a orientação sexual dos cadetes — o que não é ético nem possível, já que a homossexualidade não é uma doença! No entanto, infelizmente, os hospitais turcos ainda a definem dessa forma.

Além disso, é bastante comum que os empregadores turcos questionem os candidatos sobre os registros que atestem que eles concluíram o serviço militar. Assim, demais do constrangimento de provar a homossexualidade para o Exército, a dispensa gera outros problemas, já que muitas empresas se recusam a contratar gays.

Qual é a sua opinião a respeito da postura do Exército turco sobre a homossexualidade? Comente no Fórum do Mega Curioso

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.