A história do fã obcecado que tentou matar a Björk e cometeu suicídio
1.665
Compartilhamentos

A história do fã obcecado que tentou matar a Björk e cometeu suicídio

Último Vídeo

Você já deve ter visto a história de muitas pessoas que passam dos limites por causa de seus ídolos ou para provarem a sua admiração. Mas o caso de Ricardo López vai muito além disso: ele era completamente obcecado pela Björk e, durante mais de 8 meses, registrou em diários e vídeos o seu plano de acabar com a vida da cantora.

Ricardo nasceu no Uruguai e, quando ainda era uma criança, se mudou para os Estados Unidos. Tinha grandes ambições, queria ser famoso na terra dos grandes astros: Hollywood. Por isso, abandonou os estudos e começou um curso de teatro, mas o cotidiano difícil e as poucas condições financeiras o fizeram abandonar o sonho.

Ricardo López

Resolveu trabalhar com o irmão em uma empresa de controle de pestes e vivia sozinho em um pequeno e desorganizado apartamento.

Foi nesta época que ele desenvolveu uma verdadeira obsessão pela vida dos famosos e encontrou a sua verdadeira “deusa”: a cantora Björk.

O início das gravações

“Meu nome é Ricardo López, hoje é dia 14 de janeiro de 1996. É o meu aniversário de 21 anos, e eu começarei a documentar a minha vida, minha arte e os meus planos”.

Foi assim que Ricardo iniciou a gravação da sua primeira fita. Durante mais de 8 meses, ele gravou monólogos que mostravam seus pensamentos mais íntimos, as frustrações com a própria aparência e sua admiração doentia pela artista.

“Vocês querem ver algo engraçado? Eu vou mostrar quem eu sou. Eu sou um monstro”

Ricardo dizia que as pessoas precisavam de algo para viver: alguns eram apegados a religiões e deuses; outros, segundo ele, se satisfaziam com o sexo e a aparência. Mas, para Ricardo, a grande motivação de sua vida era ela, Björk.

Ele colecionava fotos, músicas e informações sobre a cantora. Até mesmo uma escultura foi feita pelo jovem.

Escultura que Ricardo estava fazendo

O namoro de Björk e o preconceito de Ricardo

As coisas começaram a piorar quando a cantora começou a namorar o também músico Goldie. Mesmo confessando que não sentia desejo sexual por ela, mas sim adoração, Ricardo não aceitava o relacionamento. O assunto parecia tirar o jovem do sério, o levando a gravar diversos depoimentos preconceituosos.

Em um deles, Ricardo mostra uma imagem de Björk, enquanto diz:“Olhem para este lindo rosto. Esta coisa delicada, inocente e infantil. Ela está transando com um negro. Vocês conseguem acreditar nisso? Isso é inaceitável”.

Björk e o namorado Goldie

Em outro vídeo polêmico, ele revela a imagem depreciativa que tinha de si mesmo e continua a atacar, com mais declarações ameaçadoras:

“Antes de tudo, sou um exterminador, isso é um ponto de referência. Eu sou um exterminador, um ‘homem-inseto, como muitas pessoas se referem a mim. O ‘Homem-barata’. A maioria das pessoas neste mundo são baratas. Eu sou uma delas. Se você olhar ao redor perceberá que sou um pedaço de merda. Sou sujo, medíocre, gordo, nojento.

E quando vejo uma mulher branca com um homem negro, isso é completamente inaceitável. O melhor alvo seria um show de rap. Esse tipo de gente eu adoraria exterminar

Eu sou um pedaço de merda e essa é a razão pela qual eu não consigo arrumar uma namorada. Eu sou uma barata, como a maioria das pessoas. E negros são os dejetos das baratas, no meu ponto de vista. Isso é ignorância em sua forma mais pura, mas é como eu me sinto. Exatamente como me sinto.

E quando vejo uma mulher branca com um homem negro, isso é completamente inaceitável. O melhor alvo seria um show de rap. Esse tipo de gente eu adoraria exterminar.”

A ideia do atentado

Jovem dedicava a vida a Björk

Além das diversas demonstrações de raiva, Ricardo decidiu que ele precisava matar Björk, ou pelo menos feri-la gravemente. Sua primeira ideia foi enviar uma bomba com diversas agulhas contaminadas com vírus HIV. Percebendo que isso não seria possível, ele desistiu e partiu para o plano B.

Ricardo decidiu que ele precisava matar Björk, ou pelo menos feri-la gravemente

O jovem arquitetou uma carta-bomba, semelhante a um livro. Assim que alguém abrisse a correspondência, o dispositivo iria explodir, espalhando ácido sulfúrico. Ele acreditava que poderia, pelo menos, desfigurar a cantora.

Ricardo fez uma carta-bomba

O último dia

No dia12 de setembro de 1996, Ricardo gravou o que seria a sua última fita. Naquela manhã, ele se preparou para enviar a carta-bomba pelo correio. Com receio de ser descoberto, levou uma arma carregada e deixou uma declaração: “Fita nova. Como eu estava dizendo, eu vou colocar o ácido sulfúrico dentro (do livro). Eu vou até lá, eu tenho minha arma carregada aqui na minha bolsa. Caso eu não volte, já adianto a minha despedida a todos. Caso eles queiram me prender, eu vou explodir a minha cabeça”.

Você pode ver a fita do último dia aqui

Ricardo gravou vídeos durante 8 meses

Sem ser descoberto, ele voltou para casa e começou a gravar novamente. Ricardo estava fora de si: raspou a cabeça, se pintou com tinta vermelha e, nos últimos momentos, sentou em uma cadeira em frente a uma faixa com a frase “O melhor de mim” e colocou as músicas de Björk ao fundo.

“Ok, eu estou pronto, mas o síndico está lá embaixo. Isso é um problema. Bem, agora eu gostaria de dizer minhas últimas palavras: que se foda o mundo. E que se foda a Björk. Ela e o seu parceiro negro. As chances de eu ser totalmente bem-sucedido, como eu disse antes... Eu não vou contar com isso.

No entanto, eu considero uma grande aventura. Eu iria morrer de qualquer jeito, não por causa dela, mas por meus próprios motivos. Essa morte é para você, Björk. Não, desculpe, é para você ver. Uma compensação pela dor que eu tenha lhe causado.”

Ricardo cometeu suicídio em sua própria casa

Ele então deu um tiro na própria cabeça e caiu no chão da sala. Quatro dias depois, sentindo o forte odor, um funcionário do prédio ligou para a polícia. Ao chegarem no local, além do cadáver de Ricardo, os oficiais se depararam com recados nas paredes que diziam que ali estavam documentos e provas de um crime que deveriam ser entregues ao FBI.

Foram recolhidas mais de 18 horas gravadas em fitas, das quais muitas estão disponíveis na internet, além de mais de 800 páginas dos diários escritos por Ricardo.

O pacote foi interceptado pela Scotland Yard antes de chegar à casa da cantora. 

***

Agradecemos ao leitor José Lucas do Nascimento, que sugeriu o tema desta matéria. Quer sugerir a próxima história? Deixe o seu comentário aqui!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.