Cuidado: estelionatária brasileira que se passa por socialite está à solta
73
Compartilhamentos

Cuidado: estelionatária brasileira que se passa por socialite está à solta

Último Vídeo

Se você é do tipo que tem o costume de sair por aí e passar a noite com moças desconhecidas com as quais você esbarrou enquanto ostentava no camarote, tenha cuidado. Kelly Tranchesi, uma prolífica estelionatária brasileira que se faz passar por socialite aparentemente está foragida e seu paradeiro é desconhecido.

Kelly Samara Carvalho dos Santos é o nome real de Kelly Tranchesi, uma ativa vigarista que se diz pertencer à alta sociedade e já aplicou dezenas de golpes, a maioria deles no eixo Rio-São Paulo. Os principais alvos da falsa socialite costumam ser agências de locação de veículos, lojas de grife, hotéis de luxo e moços desavisados que ela dopa com tranquilizantes para, então, desaparecer com cartões, dinheiro e o que quer que eles tenham na carteira.

Infância problemática

Originária do Mato Grosso do Sul, mais precisamente da cidade de Amambaí, Kelly, que atualmente tem 25 anos, é considerada uma mentirosa compulsiva. Filha de pais ausentes — o pai vive no Paraguai e a mãe a teria abandonado quando pequena —, a estelionatária foi criada pelos avós maternos, e já na infância começou a mostrar sinais de que daria muitos problemas.

Quando criança roubava na escola e ameaçava suas vítimas para não ser delatada, e na adolescência já havia se tornado uma frequentadora assídua de instituições para jovens delinquentes. Tanto que o Conselho Tutelar do Mato Grosso do Sul ficou de olho na moça durante um bom tempo. Mas, quando Kelly alcançou a maioridade, ela abandonou Amambaí e foi ganhar a vida em cidades maiores.

Codinomes

Antes de adotar o sobrenome falso Tranchesi — em referência à antiga proprietária da loja Daslu —, Kelly também utilizou outros codinomes, os quais ela provavelmente considerava mais refinados do que o seu Carvalho dos Santos. Entre os sobrenomes que a embusteira usou ao longo de sua carreira, estão Lambertini e Caramazoff. Contudo, Kelly também chegou a “tomar emprestado” o nome Daniela Garcete de uma família abastada de seu estado de origem.

A vigarista se apresentava como filha de fazendeiro, irmã de um famoso traficante de cigarros e inclusive como filha do Presidente do Paraguai! Pois é... E a moça começou a se tornar uma figurinha conhecida pelos meios de comunicação brasileiros aos 19 anos de idade, especialmente depois de surrupiar de Gianpaolo Gelleni, filho da proprietária de uma galeria de arte de São Paulo, uma obra do espanhol Joan Miró avaliada em R$ 35 mil.

Cinderela

Bonita, alta — Kelly tem 1,76 metro e pesa 57 quilos —, sempre bem vestida e sedutora, não foram poucos os rapazes que caíram na lábia da moça. Mas além de drogar e limpar os bolsos de seus ocasionais amantes, a criminosa também costumava alugar carros importados, jatos particulares, frequentar restaurantes luxuosos e se hospedar em hotéis caros sem pagar por nada disso. Aliás, as autoridades estimam que a criminosa aplicava cerca de sete golpes por dia!

No entanto, jovens ricos e baladeiros não são os únicos alvos da vigarista, já que ela não dispensa a oportunidade de se aproveitar de qualquer vítima desavisada que tenha o azar de cruzar seu caminho. Kelly já foi presa diversas vezes e em vários locais do país, e a última notícia que se tem é a de que a moça deveria ter se apresentado na cadeia de Dourados — onde cumpria pena em regime semiaberto — em 2012, mas nunca apareceu. Portanto, fique esperto! 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.