Entenda como funciona uma fábrica de vibradores na Califórnia
159
Compartilhamentos

Entenda como funciona uma fábrica de vibradores na Califórnia

Último Vídeo

Se você chegou até aqui achando que ia se deparar com fotos e fatos safadinhos, sinto informá-lo, caro leitor, que, apesar de ter como principal finalidade a diversão feminina, todo o trabalho por trás do desenvolvimento e da fabricação de vibradores é algo muito técnico e preciso.

Para nos revelar o que realmente se passa nos bastidores do prazer feminino, o redator Jordan Kushins, do Gizmodo, fez uma visita especial à fábrica da Crave, em São Francisco, nos Estados Unidos. Lá, ele conversou com Michael Topolovac e Ti Chang, os responsáveis pela marca e pelo desenvolvimento da coleção de vibradores de luxo, e nos mostrou como são as instalações da empresa. Confira!

O mercado do prazer

Duet é um vibrador discreto e portátil que possui um motor em cada uma das pontas e foi desenvolvido especialmente para estimular o clitóris. Sua bateria é recarregada por USB e uma de suas versões pode armazenar dados.Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo

Antes de conhecermos os detalhes da fabricação dos vibradores, é importante saber que a Crave iniciou suas atividades no ano passado. O primeiro produto – que hoje também é o carro chefe da empresa – é o Duet (acima), um vibrador com design inovador que ganhou ainda mais popularidade depois do lançamento de sua versão USB com capacidade de armazenamento de até 16GB.

Topolovac e Chang são designers industriais que se juntaram em 2011 com o objetivo de criar produtos que pudessem acompanhar as mulheres por bastante tempo, em vez de ser apenas mais uma novidade no mercado do prazer.

Todo o processo de desenvolvimento, montagem e testes acontece dentro da fábrica da Crave, em São Francisco. Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo

Ao chegar às instalações da Crave, Kushins conta que não sabia exatamente o que esperar da experiência que estava por vir. Mesmo sabendo que a empresa investe em um design diferenciado para seus produtos, não havia como não imaginar um cenário em que uma série de vibradores de tamanhos indiscretos estariam espalhados por onde quer que se olhasse.

Porém, a realidade da Crave é muito diferente – os produtos que eles desenvolvem têm cerca de dez centímetros e um visual extremamente discreto. Além da fachada, a empresa consiste em uma série de máquinas e uma pequena linha de produção onde os vibradores são finalizados.

Diversão de bolso

A montagem final dos vibradores é feita à mão individualmente. Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo

Depois de ouvir o que as mulheres queriam, os responsáveis pela marca decidiram investir em produtos diferenciados, compactos e fáceis de serem recarregados. Daí surgiu a versatilidade da bateria que é recarregada a partir de uma entrada USB e, em um segundo momento, a possibilidade do armazenamento de dados.

Em cada etapa do processo de desenvolvimento de um produto, testes e mais testes são realizados com diversas mulheres. Chang revela que a empresa mantém contato com voluntárias a partir de pesquisas online e entrevistas presenciais para descobrir o que funciona e o que pode ser aprimorado nos vibradores. Hoje, todas as análises são realizadas com voluntárias, mas nem sempre foi assim. Os empresários revelaram que, no começo de tudo, eram as amigas que experimentavam os brinquedinhos e davam suas opiniões.

Os equipamentos passam por uma série de testes para garantir que o produto saia da fábrica pronto para ser usado. Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo

A construção final dos produtos é feita no segundo andar da empresa, onde as máquinas abrem espaço para as pessoas. Cada parte do motor é carregada, recarregada e testada a vácuo para se ter certeza de que o vibrador resistirá à água. Depois de prontos, os aparelhos recebem uma camada de spray antibactericida, são embalados em uma bolsinha de couro e depois em uma pequena caixa com as instruções de uso. Com muito cuidado, todos os produtos que saem da fábrica são montados à mão individualmente.

Topolovac e Chang também promovem regularmente eventos em que os interessados recebem os componentes e podem montar seu próprio vibrador Duet. Com isso, a ideia dos empresários é fazer com que o contato direto das pessoas com brinquedos sensuais permita que elas falem mais abertamente sobre sexo.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.