(Fonte da imagem: Reprodução/ICRAR)

De acordo com o ICRAR (Centro Internacional de Pesquisas em Radioastronomia), um radiotelescópio australiano de baixa frequência, projetado para investigar o Sol e detectar possíveis tempestades solares que possam atingir a Terra, ficou pronto depois de oito anos de desenvolvimento.

O MWA — ou Murchison Widefield Array — foi construído a 800 quilômetros de Perth, na Austrália, e servirá para evitar que emissões eletromagnéticas provenientes do Sol possam fritar satélites que se encontrem em órbita ou danificar centrais de rede elétrica na superfície do planeta. Conforme as estimativas, os danos podem chegar a US$ 2 trilhões.

Aviso prévio

Segundo o ICRAR, apesar de nos encontrarmos a apenas 8 minutos-luz de distância do Sol, uma tempestade solar demora aproximadamente 24 horas para viajar através da heliosfera e atingir a Terra. O MWA consegue detectar as emissões eletromagnéticas e monitorar suas trajetórias, permitindo que tenhamos tempo suficiente para redirecionar satélites e tomar as medidas necessárias quanto ao fornecimento de energia.

Mas, além de minimizar custos com possíveis danos a equipamentos e cortes de energia, o radiotelescópio também serviria para que os astrônomos vasculhem o espaço em busca de antigas galáxias que jamais foram observadas para, quem sabe, entender questões relacionadas às origens do Universo.