(Fonte da imagem: Reprodução/Cracked)

Talvez você nunca tenha pensado nisso, mas saiba que é possível se dar bem na maioria das vezes quando você estiver jogando jokenpô, jogo popularmente conhecido no Brasil como “pedra, papel e tesoura”. Segundo o site Cracked, basta utilizar alguns conselhos matemáticos dados por profissionais – sim, eles existem – no assunto.

Segundo eles, o ser humano é muito previsível. Eles já observaram que em se tratando de um jogador novato, é mais provável que ele comece a disputa com “pedra”, por se tratar do elemento que aparenta ser o mais forte na disputa. A arma contra a pedra é o papel, que é capaz de embrulhá-la.

Jogadores intermediários podem usar esse conhecimento para neutralizar ou excluir a pedra do jogo. Além disso, é estatisticamente comprovado que a tesoura é o item menos escolhido. Tendo isso em mente, é hora de perceber como os jogadores profissionais atuam nesses casos.

Antes de o jogo começar, os mais experientes costumam lembrar as regras da disputa. Ao citar as opções, eles costumam mostrar apenas um delas, geralmente a tesoura, como forma de forçar o seu subconsciente a escolher aquele movimento. Acredite: funciona na maioria das vezes.