Xenônio (Fonte da imagem: Reprodução/Wikipedia)

Já imaginou poder pesar algo tão minúsculo quanto um componente de um átomo? Na verdade, existem sensores capazes de detectar massas extremamente diminutas, informando o peso de partículas na ordem dos yoctogramas. Para que seja possível determinar um peso tão ínfimo, é necessário utilizar nanotubos, que vibram em diferentes frequências dependendo da massa das partículas ou moléculas que estão sendo pesadas.

Contudo, os sensores mais precisos que existiam só conseguiam medir a massa de partículas na casa dos 100 yoctogramas. Embora 100 yoctogramas a mais ou a menos não façam a mais remota diferença em nossa vida cotidiana — afinal, um deles equivale a 10-24 gramas —, quando pensamos em escala subatômica, seria o mesmo que aumentar ou diminuir o seu peso em algumas toneladas.

Nova nanobalança

Porém, de acordo com um artigo publicado pelo periódico Nature.com, cientistas do Instituto Catalão de Nanotecnologia desenvolveram um sensor capaz de medir massas tão pequenas quanto um único yoctograma. Mais precisamente, a balança foi capaz de detectar um único próton de um átomo de xenônio, pesando 1,7 yoctogramas.

Tudo bem. Você não faz muita questão de saber qual é o seu peso exato até o último yoctograma, mas, na verdade, existem aplicações práticas para um sensor como esse. Com a nanobalança, será possível diferenciar elementos químicos quase idênticos, por exemplo, ou até mesmo utilizá-la na medicina, para tratar doenças moleculares, detectáveis apenas no nível de prótons.