Realeza ancestral: conheça a coroa mais antiga do mundo
28
Compartilhamentos

Realeza ancestral: conheça a coroa mais antiga do mundo

Último Vídeo

Todos sabemos que o instinto de tentar atingir uma posição superior à dos seus iguais é algo presente há muitos séculos na raça humana – provavelmente desde o final do período Neolítico, quando os nômades começaram a se acomodar em comunidades agricultoras. No entanto, é difícil especificar com certeza a partir de quando as coisas evoluíram ao ponto de surgirem as primeiras noções de realeza.

No entanto, arqueólogos israelenses encontraram, em 1961, restos de civilizações ancestrais que são os indícios mais antigos conhecidos de símbolos usados por reis e rainhas. Os itens foram encontrados na parte sul de Levante, onde hoje fica Israel, e agora fazem parte de uma exposição que viaja os museus do mundo inteiro.

Como parte central da mostra está uma peça de cobre enegrecido com 17 cm de altura e quase o mesmo diâmetro, enfeitada com uma cruz que lembra o cabo de uma espada fincada no solo, dois pássaros de pescoço longo que parecem abutres e dois portões ou grades com chifres em seus topos. Embora sua função exata seja um mistério, o objeto tem a aparência de um diadema e os organizadores da exibição o chamam de “a coroa mais antiga do mundo”.

Fonte da imagem: Reprodução/The New Yorker

Mestres do fogo

As relíquias encontradas pelos arqueólogos pertenciam à elite de um povo, cuja cultura é pouco conhecida nos tempos modernos, que viveu no Oriente Médio no período Calcolítico (também conhecido como Idade do Cobre), entre 4.500 e 3.600 antes de Cristo. O que se sabe é que esse grupo elevado era conhecido como “mestres do fogo” e era constituído por ferreiros de cobre e artesãos que levavam seus símbolos consigo para os túmulos.

A alegada “coroa mais antiga do mundo” pode sequer ter sido uma coroa de verdade, podendo se tratar na realidade de um suporte para urnas ou algo completamente diferente. No entanto, sabe-se que a cultura do povo que criou o objeto ao menos tinha o costume de dignificar suas matriarcas, graças a uma série de relíquias encontradas em homenagem às mulheres. E aí, acha essa coroa digna de uma princesa? Deixe sua opinião nos comentários.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.