Ampliar

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/ArtScience)

O microbiologista Zachary Copfer criou uma maneira um tanto peculiar de produzir impressões das fotografias de figuras famosas na história da ciência. O processo inventado por Copfer deixa de lado a tradicional emulsão sensível à luz geralmente usada para imprimir as fotos e, em seu lugar, utiliza uma versão geneticamente alterada da bactéria Escherichia coli.

A “bacteriografia” do artista/cientista foi criada dentro dos laboratórios da University of Cincinnati. Primeiramente, Zachary prepara a bactéria E. coli utilizando uma proteína especial de um determinado tipo de água-viva. Na sequência, ele cobre uma foto qualquer com a bactéria preparada e expõe o conjunto à radiação, a fim de criar um filme negativo.

Depois de um determinado tempo de exposição, o cientista retira rapidamente o conjunto preparado e o coloca dentro de um ambiente refrigerado (uma espécie de geladeira), cobrindo o material com uma placa de acrílico para preservar o negativo. Assim que a reação é interrompida em definitivo, Zachary utiliza o resultado da reação para imprimir as fotos. O resultado é muito curioso e espetacular!

Confira na galeria abaixo as principais produções do microbiologista. As imagens foram retiradas do site Art Science, no qual há uma descrição superdetalhada (e científica) do processo realizado pelo cientista — escrita por ele próprio. Incrível!

Fontes: Gizmodo, Art Science