Top 10 FBI: os maiores roubos de arte
20
Compartilhamentos

Top 10 FBI: os maiores roubos de arte

Último Vídeo

A Federal Bureau of Investigation (FBI) tem diversas listas em que elenca crimes de diferentes naturezas. Elas existem para que as pessoas ajudem a unidade de polícia a encontrar tais artefatos roubados.

Seja pelo valor monetário ou histórico, uma dessas listas é composta apenas por obras de arte. São quadros e esculturas que chegam a custar milhões de dólares e hoje estão desaparecidos. Além disso, alguns deles estão com recompensas para quem encontrá-los — o Museu Gardner, por exemplo, oferece US$ 5 milhões (R$ 14 milhões) para quem indicar o paradeiro real de quadros de Rembrandt e Vermeer.

Abaixo, conheça todas as obras de que o FBI está correndo atrás e entenda como elas foram roubadas.

1. Itens do Museu Chácara do Céu, no Rio de Janeiro

Na madrugada do dia 24 de fevereiro de 2006, quatro homens armados invadiram o Museu Chácara do Céu, no Rio de Janeiro. Vários objetos e quadros foram roubados. Entre eles, estão os trabalhos de Claude Monet, Pablo Picasso, Henri Matisse e Salvador Dali. O valor das obras ainda não foi estimado.

2. "Madeleine", por Pierre A. Renoir

Este quadro foi roubado de uma casa em 8 de setembro de 2011 por um ladrão armado com uma pistola semiautomática, segundo o FBI. A seguradora do antigo dono oferece US$ 50 mil (R$ 140 mil) para quem der informações sobre o paradeiro da obra de Renoir. Ainda, de acordo com a unidade de polícia, este quadro tem um valor de R$ 2,8 milhões.

3. "A Cavalier", por Dutch Master Frans Van Mieris

Roubado em 2007, este pequeno autorretrato mede apenas 20 cm x 16 cm. Contudo, seu valor ultrapassa os R$ 2 milhões.

4. Painéis de Maxfield Parrish

Duas pinturas a óleo de Maxfield Parrish foram roubadas em 2002, na Califórnia. Avaliadas em mais de R$ 11 milhões, as telas foram cortadas de suas molduras, então provavelmente estão um pouco avariadas.

5. "View of Auvers-sur-Oise", por Cezanne

Este roubo foi feito durante a madrugada do dia 31 de dezembro de 1999. Um único ladrão levou uma pintura que vale mais de R$ 13 milhões.

6. "View of the Sea", por van Gogh

Dois homens roubaram dois quadros do museu de Amsterdã às oito da manhã no dia 7 de dezembro de 2002. "View of the Sea at Scheveningen" e "Congregation Leaving the Reformed Church in Nuenen" foram pintadas entre 1882 e 1884 por ninguém menos que Vincent van Gogh.

O valor estimado de ambas as obras era de US$ 30 milhões (R$ 82 milhões). O museu oferece uma recompensa de R$ 310 mil por informações que levem a encontrar os objetos perdidos.

7. Violino Stradivarius

Existem apenas 650 destes violinos atualmente. Em 1995, um Stradivarius de 1727 foi roubado do apartamento da violinista Erica Morini. Ele tinha um valor de US$ 3 milhões (cerca de R$ 8 milhões). Pouco tempo depois do roubo, Morini morreu, aos 91 anos.

8. "Nativity with San Lorenzo and San Francesco", de Caravaggio

Este quadro de Caravaggio foi retirado de sua moldura por dois ladrões em 1969. Roubada na Itália, a pintura tem valor estimado de R$ 57 milhões.

9. Roubos no Gardner Museum

Em 1990, dois homens disfarçados de policiais em Boston foram ao museu local dizendo que foram chamados. Dentro do edifício, roubaram 13 pinturas de Govaert Flinck, Degas, Rembrandt e do próprio Vermeer. "The Concert", uma das telas roubadas, tem um preço estimado de R$ 524 milhões — e o recorde de obra de arte desaparecida mais valiosa.

10. King Entemena of Lagash

Este é um caso de "sucesso" do FBI. Em 2003, vários artefatos foram roubados do Museu Nacional do Iraque. Entre eles, estava a estátua de diorito King Entemena e quase 5 mil selos cilíndricos.

Em 2005, o FBI recuperou e repatriou oito selos e a estátua.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.