Van Gogh não cortou apenas o lóbulo de sua orelha – e este desenho comprova
350
Compartilhamentos

Van Gogh não cortou apenas o lóbulo de sua orelha – e este desenho comprova

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Autor de obras mundialmente famosas, como “Noite Estrelada” e “Doze Girassóis numa Jarra”, o pintor holandês Vincent van Gogh é conhecido também pelas histórias trágicas que marcaram sua vida pessoal, entre elas o fato de ter cortado um pedaço de sua orelha esquerda.

A automutilação foi representada na obra “Autorretrato Com a Orelha Cortada”, que mostra o artista com um curativo ao redor da cabeça. Por muitos anos, estudiosos especialistas na vida do pintor acreditavam que o corte, ocorrido na noite de 23 de dezembro de 1888, foi feito com uma navalha e que, em seguida, van Gogh teria entregado o lóbulo da própria orelha a uma prostituta francesa.

A novidade sobre o caso se dá graças à historiadora amadora Bernadette Murphy, que encontrou um desenho feito pelo médico que fez o curativo na orelha do artista. Através desse desenho, percebemos que o pintor não tirou apenas um pedaço do lóbulo da própria orelha, como se acreditou por muitos anos.  

Foi praticamente a orelha inteira

Reprodução

A descoberta de Murphy aconteceu porque ela revirou os arquivos de Irving Stone na Universidade de Califórnia em Berkeley. Stone era um escritor norte-americano que teve grande relevância nos estudos a respeito da biografia de van Gogh. Durante uma visita do escritor a Arles, na França, em 1930, Stone acabou conhecendo Dr. Félix Rey, médico do pintor, e pediu a ele para que desenhasse a orelha do artista no dia do ocorrido. Eis a origem do desenho encontrado pela historiadora só agora.

Ao lado da representação, o médico francês escreveu que estava feliz ao dar a informação pedida por Stone: “Eu espero sinceramente que você não falhe em glorificar a genialidade desse pintor notável, assim como ele merece”, disse o médico.

A história que se sabia até então era focada na noite do ocorrido, quando o pintor Paul Gauguin tinha decidido deixar a cidade de Arles, fazendo com que seu amigo van Gogh ficasse fora de controle e cortasse o lóbulo da própria orelha. Agora, com o desenho feito pelo médico que atendeu van Gogh, podemos perceber que o corte foi muito maior do que imaginávamos.

Novas versões para a mesma história

A arma enferrujada com a qual o artista teria se matado.

Murphy é tão fascinada pela história do pintor holandês que escreveu um livro sobre o assunto. Na obra, ela levanta outros elementos importantes a respeito do tempo em que o pintor viveu em Arles, o que inclui a verdadeira identidade da mulher para quem van Gogh deu sua orelha “de presente”.

De acordo com a historiadora, não foi uma prostituta chamada Rachel quem recebeu a orelha, mas uma camareira de um bordel de Arles que se chamava Gabrielle. Ainda segundo os estudos anteriores aos de Murphy, à época do ocorrido centenas de moradores da cidade chegaram a fazer um abaixo-assinado para que o pintor fosse expulso ou enviado a um sanatório.

Segundo as pesquisas de Murphy, no entanto, apenas 30 pessoas assinaram o tal documento, o que é um número pouco significativo em uma cidade com uma população de 15 mil habitantes à época. Além do mais, a maioria das pessoas que assinaram conhecia o dono do apartamento onde van Gogh morava – eles queriam se livrar do artista. Para completar, muitas das assinaturas foram falsificadas.

“Essa investigação tem sido uma aventura incrível, e descobrir o documento foi um momento extraordinário. Da minha casinha em Provença eu não conseguia acreditar que eu tinha encontrado alguma coisa nova e importante sobre Vincent van Gogh, mas foi um detalhe vital em meu reexame completo desse mais famoso dos artistas, das pessoas-chave que ele conheceu em Arles e de seu trágico fim”, comemorou a pesquisadora.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.