(Fonte da imagem: Thinkstock)

O pessoal do site Gizmodo escreveu um interessante artigo para quem é fã de cerveja, no qual eles dão algumas dicas para evitar que a sua bebida favorita oxide e fique com aquele característico sabor desagradável.

Segundo o artigo, a velha crença de que tirar uma cerveja do congelador, deixá-la esquentar e voltar a guardá-la na geladeira, na verdade, não faz com que a bebida oxide. A verdadeira culpa de que a sua cervejinha fique com aquele gostinho esquisito não é do calor nem da variação de temperatura, mas da exposição à luz.

Lúpulo

De acordo com Malcolm D. Forbes, um pesquisador da Universidade da Carolina do Norte, o sabor característico de cerveja velha, que ele descreve como “sabor de gambá”, se deve à sensibilidade do lúpulo à luz. Esse composto, utilizado para aromatizar a bebida, é o que dá à cerveja aquele gostinho amargo, além de evitar a proliferação de bactérias.

Contudo, o lúpulo é muito sensível à luz e, quando a cerveja fica exposta à ação dos raios ultravioleta, esse elemento sofre uma reação química que leva à liberação de radicais livres, originando aquele gosto ruim. Assim, as cervejas que contêm menos lúpulo — normalmente as mais claras e leves — são também as menos propensas a sofrer oxidação.

O que fazer?

(Fonte da imagem: Thinkstock)

Se o grande problema é a luz, o melhor a fazer é armazenar a sua cerveja corretamente. Assim, se você não quiser deixar a sua bebida guardada na geladeira — que é o melhor lugar para ela, definitivamente —, guarde-a em algum lugar bem arejado e protegido da incidência de luz.

Além disso, as cervejas vendidas naquelas garrafas de vidro âmbar — mais escuro — se mantêm melhor do que as que são comercializadas em garrafas de vidro verde e muito melhor do que as bebidas vendidas em garrafas transparentes.

Proveniência

Além de prestar atenção em como você estoca as suas cervejinhas em casa, é bom ficar de olho em como elas ficam armazenadas no local onde você costuma comprá-las. Não adianta nada você guardar suas bebidinhas do jeito certo se no mercado elas ficam expostas naquelas geladeiras iluminadas ou próximas a fontes diretas de luz.

O ideal é que as garrafas fiquem protegidas em caixas de papelão ou longe da claridade. Outra opção é você comprar as cervejas que venham envasadas em latinhas, que mantêm a bebida vedada em seu interior e totalmente protegida da incidência da luz.

Cerveja não é vinho!

(Fonte da imagem: Thinkstock)

Outra coisa que devemos ter em mente é que a cerveja não é como o vinho, portanto ela não deve ficar guardada envelhecendo. Embora ela não estrague com o tempo, deixá-la esquecida no armário vai afetar o seu sabor. Para retardar um pouco esse processo, mantenha a sua loira sempre geladinha e não a deixe esperando por muito tempo. E aprecie com moderação!

Fontes: Gizmodo, Universidade da Carolina do Norte e Professor Beer