(Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

Você se lembra da comoção causada pela possível descoberta do Bóson de Higgs no começo de julho? Depois vieram notícias de que a partícula observada poderia, na verdade, ser uma apenas uma impostora. Entretanto, de acordo com a BBC, após uma série de experimentos, os cientistas estão cada vez mais convencidos de que realmente se tratava da partícula de Deus.

Quando os experimentos de julho foram realizados, a equipe de cientistas afirmou que a probabilidade de que a partícula observada não fosse o Bóson de Higgs era de 1 em 3,5 milhões. Contudo, depois de novas análises, os físicos agora afirmam que essa probabilidade passou a ser de 1 para 300 milhões.

Embora pareça definitivamente certo que a tal partícula realmente exista — principalmente quando consideramos uma probabilidade absurda como essa —, no mundo da física esses números ainda não são suficientes. Portanto, as análises continuam, para que os cientistas possam sem qualquer sombra de dúvidas confirmar que o modelo-padrão está correto.

Fonte: BBC