24 coisas que você pode não saber sobre “O Iluminado”
123
Compartilhamentos

24 coisas que você pode não saber sobre “O Iluminado”

Último Vídeo

O filme “O Iluminado” é um terror psicológico produzido e dirigido por Stanley Kubrick, em 1980. Baseado no romance de mesmo nome de Stephen King, a obra conta a história de Jack Torrance, um escritor e alcoólatra em recuperação que vai trabalhar como zelador no isolado Hotel Overlook. Jack é casado com Wendy, e o filho do casal, Danny, tem a habilidade de ver o passado e o futuro, além dos fantasmas que habitam o hotel. Logo que chegam ao Overlook, a família acabou presa por uma grande tempestade de neve e as presenças sobrenaturais do local começam a influenciar negativamente Jack.

Confira algumas curiosidades sobre o longa:

1. Stanley Kubric quase dirigiu “O Exorcista”

Antes de “O Iluminado”, Kubrick já era conhecido por suas incursões em diferentes gêneros, entre eles o terror. Tanto é que, no início da década de 70, seu nome foi cogitado para a direção de “O Exorcista”. Porém, ele não trabalhou na obra por querer, além de dirigir, produzir o filme. Posteriormente, Kubrick revelou que gostaria de “fazer o longa mais assustador do mundo, envolvendo uma série de episódios que iria fazer o público ‘pular’ de medo”. Sete anos depois ele lançaria a obra "O Iluminado". 

2. O filme teve inspiração na série Omnibus

Em 1952, Kubrick foi diretor de um episódio da série de TV “Omnibus”, exibida de 1952 a 1961. Este capítulo trazia uma trama tensa sobre jogadores de poker. Kubrick então utilizou a desorientação psicológica da série no filme, para evitar a percepção de que os eventos sobrenaturais estavam realmente acontecendo.

3. Kubrick ignorou o roteiro escrito por Stephen King para o filme...

A história do filme foi baseada no best-seller do escritor Stephen King, lançado em 1977. Apesar do sucesso, Kubrick simplesmente ignorou o rascunho do roteiro feito pelo autor da história, alegando que a sua escrita era “fraca”. Ele preferiu trabalhar com Diane Johnson durante onze semanas no script. 

4. ...Mas Kubrick tinha perguntas para Stephen King

Stephen conta que, em uma manhã, Kubrick o chamou com o seguinte questionamento: "Eu acho que histórias do sobrenatural são fundamentalmente otimistas, não é? Se há fantasmas, então isso significa que vamos sobreviver à morte.” Stephen respondeu com a questão de como o inferno se encaixaria neste quadro. O diretor respondeu imediatamente: “Eu não acredito no inferno.”

5. Stephen King não gostou do filme nem da atuação de Jack Nicholson

Durante uma entrevista à revista Playboy, em 1983, Stephen revelou que durante muito tempo havia admirado Kubrick e, por isso, criou grandes expectativas quanto ao filme. Porém, acabou decepcionado com o resultado final. Além disso, o escritor afirmou não ter gostado da atuação de Jack Nicholson, afirmando que o ator estava errado para o papel.

Segundo King, “o último grande papel de Nicholson foi em ‘Um Estranho no Ninho’. E, quando o ator iniciou o filme com seu ‘sorriso maníaco’, o público o identificou como um maluco automaticamente. Mas o livro é sobre uma descida gradual do personagem Jack na loucura, através da influência maligna. Se a história já começa com um louco, toda a tragédia de sua queda é desperdiçada”. 

6. Robert De Niro ou Robin Williams poderiam ter feito o papel de Jack

Kubrick considerou tanto Robert De Niro quanto Robin Williams para o papel de Jack. Porém, após assistir Taxi Driver, o diretor considerou que De Niro não seria psicótico o suficiente para o papel. Por outro lado, considerou Robin Williams demasiado psicótico após sua atuação em Mork & Mindy. De acordo com Stephen King, Kubrick também considerou brevemente Harrison Ford.

7. A família de Kubrick trabalhou no filme

O produtor-executivo do filme era Jan Harlan, cunhado do diretor. Além disso, Christiane Kubrick e Vivian Kubrick, esposa e filha, respectivamente, colaboraram com o design e a música da obra. Vivian também fez um documentário no set de gravações, intitulado “The Making Of The Shining”. 

8. Kubrick não estava durante a gravação dos créditos de abertura

Kubrick odiava voar e, por isso, não participou das filmagens feitas de um helicóptero no Parque Nacional Glacier. 

9. O número do quarto foi alterado de 217 para 237

No livro, os acontecimentos sinistros acontecem no quarto 217, porém, a administração do Hotel Timberline Lodge, onde foram gravadas algumas cenas do filme, pediu para que o quarto fosse mudado para o 237. A precaução foi tomada para que os hóspedes não evitassem nenhum quarto, já que não existia a numeração 237 no hotel. Curiosamente, o quarto 217 é o mais solicitado no local.

10. “Muito trabalho e pouca diversão fazem de Jack um cara bobão” tem diferentes significados em cada país

Kubrick pediu para que a frase original “All work and no play makes Jack a dull boy” tivesse diferentes traduções em cada país em que o filme foi lançado. Em alemão, a frase é: “Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”, e, em italiano: “Aquele que acorda cedo encontra um dia de ouro”. 

11. Dizem que Kubrick datilografou todas as páginas de “All work and no play makes Jack a dull boy”

As páginas com a famosa frase “All work and no play makes Jack a dull boy” contêm diferentes layouts e erros, o que mostraria que alguém fez o trabalho manualmente. Acredita-se que o próprio diretor foi o responsável pelo feito, dando um toque especial à cena. Porém, essa informação nunca foi confirmada.

12. A teoria da revista Playgirl

Sabe-se que Kubrick é famoso por sua visão detalhista. Então, quando Jack foi visto lendo uma revista Playgirl, as pessoas já começaram a especular sobre o real significado da cena. Nesta edição, há um artigo sobre incesto, significando, para muitos, que Danny pode ter sofrido abuso sexual. 

13. Esse foi o único papel de relevância do ator Dan Lloyd

Com a estreia de “O Iluminado”, acreditava-se que Dan Lloyd, que interpretou o pequeno Danny, seria um novo astro infantil. Porém, o ator só teve mais um pequeno papel na televisão dois anos depois do filme. 

14. O pequeno Danny não sabia que estava em um filme de terror

Para proteger o ator, que na época tinha apenas 5 anos, Kubrick disse a ele que o filme era um drama. Dan só viu a obra quando já tinha 16 anos e revelou que não havia achado assustador, já que esteve nos bastidores.

15. A famosa cena do machado contou com uma improvisação

Na cena em que Jack quebra a porta do banheiro com um machado, Nicholson acrescentou um toque especial ao gritar “heeeere’s Johnny!”. O bordão era de Ed McMahon, no programa “The Tonight Show - Starring Johnny Carson”, e não estava no roteiro. Veja o ator se preparando para a cena:

16. Jack Nicholson escreveu uma cena

Além de improvisar uma das cenas mais famosas do filme, Nicholson colaborou escrevendo outra. O ator revelou que, particularmente, compreendia a repreensão da esposa de Jack enquanto ele estava tentando escrever. Em uma entrevista ao New York Times, explicou que passou por algo parecido durante o seu divórcio, dizendo que tinha a pressão de ser um homem de família, trabalhar durante o dia em um filme e escrever à noite.

17. Shelley Duvall e Stanley Kubrick não se davam bem

O diretor era notoriamente brutal com Shelley durante as gravações. Segundo a atriz, ela passou a ter problemas de saúde por causa do estresse sofrido. Uma das cenas de discussão entre Wendy e Jack entrou para o Guinness Book, pois levou 127 tomadas para ser gravada.

18. O Hotel Overlook não faz sentido 

Rob Ager, um fã de “O Iluminado”, percebeu que alguns aspectos no Hotel Overlook não faziam sentido. Um exemplo é o escritório de Ullman, que possui uma janela para o exterior mesmo tendo quartos ao seu redor. Além disso, enormes corredores e salões não condiziam com o tamanho do hotel. 

19. Incêndio no set

Perto do fim das gravações, um incêndio atingiu o estúdio onde o filme era gravado, causando um prejuízo de U$ 2,5 milhões. Este caso resultou em uma famosa fotografia, na qual Kubrick ri em frente aos destroços – talvez porque na história original o hotel realmente acabe queimado.

20. 900 toneladas de sal foram usadas

Para criar o labirinto invernal por onde Jack persegue Danny, foram usadas nada menos que 900 toneladas de sal, além de isopor. 

21. Há um final diferente

Não é raro que filmes possuam versões diferentes para a cena final, mas Kubrick a fez após o primeiro fim de semana de exibição do filme. Ao que parece, a versão cinematográfica está perdida, porém o roteiro ainda existe. A cena se passa depois da morte de Jack e, em uma visita a Wendy no hospital, Ullman conversa sobre “as coisas que ela viu no hotel”. Segundo ele, a tenente teria revistado todo o lugar (o hotel) e não teria encontrado nada fora do comum. Por isso, Ullman sugere que ela e Danny passem um tempo com ele. O filme termina com um texto sobre o preto: "O Hotel Overlook sobreviveu a esta tragédia, assim como tantos outros. Ele ainda abre a cada ano, de 20 de maio até 20 de setembro. Mas fica fechado para o inverno."

22. As teorias em torno de “O Iluminado”

Uma das teorias em torno do filme diz que Kubrick ajudou a falsificar a chegada do homem à Lua e “O Iluminado” é sua confissão. Outros tópicos abordam o genocídio dos nativos americanos e até o holocausto. 

23. As referências em “Toy Story 3”

Um dos grandes fãs do filme de Kubrick é o diretor Lee Unkrich, responsável por filmes como “Toy Story 3”. Ele até incluiu referências da obra no desenho, como o tapete semelhante ao do Hotel Overlook.
Há também a placa do caminhão de lixo “RM237” e a cena do chat online em que o dinossauro usa o nick “Velocistar237”, menção ao quarto 237.

24. Menções na música e nos games

Os clipes "The Kill", da banda 30 Seconds to Mars, e "Spit it Out", da banda Slipknot, tiveram o filme como inspiração. A banda Mudvayne tem uma música chamada "Dull Boy", que traz a celebre frase "All work and no play makes me a dull boy".

Além disso, o personagem Johnny Cage, do jogo Mortal Kombat X, usa um fatality em que ele abre a barriga do adversário e diz “Here’s Johnny”.

Veja algumas imagens dos batidores:

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.