Para esta cultura, grandes cabelos trazem prosperidade (Fonte da imagem: Reprodução/Oddity Central)
O que as mulheres da etnia Yao, que vivem na vila Huangluo, na China, têm de especial? Segundo o Guinness World Records, a resposta seria as longas madeixas que cada uma delas exibe. A média entre as 120 representantes femininas desta vila é de 1,7 metro de comprimento de cabelo — sendo a maior cabeleira registrada com mais de 2,1 metros.  

Como é possível notar, para estas chinesas, o cabelo é o bem mais precioso que elas possuem. E o motivo que as levam a deixar a madeixas tão longas é simples: segundo a cultura dessa etnia, quanto maior o cabelo, mais longevidade, saúde e prosperidade. Esta crença acabou se tornando um dos principais atrativos da vila de Huangluo — local que também atrai turistas pela beleza natural que oferece em seus arredores.

Cortar o cabelo? Apenas uma vez em toda a vida

Aos 16 anos, as mulheres de Huangluo possuem a autorização de cortar seus cabelos. Segundo a tradição, este é o momento em que elas devem procurar um parceiro e, por isso, cortam os cabelos, passam para as avós e estas montam um penteado ornamental — que é guardado para dar ao futuro noivo.

Mesmo quando é cortado, o cabelo não é jogado fora (Fonte da imagem: Reprodução/Oddity Central)
Depois de todo esse processo, a peça de cabelo também será usada pela mulher para complementar o penteado de cada dia. Além de trazer boas vibrações para as mulheres, os longos cabelos também são usados como status. De acordo com o penteado que cada uma usa, é possível saber se elas são casadas, possuem filhos ou se estão atrás de um amor.

Apenas esposo e filhos podiam ver os cabelos de cada mulher

Até a década de 80, a tradição de Huangluo era rigorosa quanto às madeixas de suas moradoras. Apenas o esposo e os filhos poderiam ver o cabelo solto de uma mulher — que precisava escondê-lo com um lenço na maior parte do tempo.

Lavar um cabelo com mais de 1 metro não deve ser algo muito fácil... (Fonte da imagem: Reprodução/Oddity Central)
As regras eram tão rígidas que, caso um estrangeiro ou outro morador visse por acidente os cabelos de uma mulher, ele era obrigado a passar três anos com a família dela como um genro. Mas todas essas leis foram modificadas em 1987 e, agora, as representantes femininas de Huangluo podem exibir suas longas madeixas para todos.

Para deixarem seus cabelos escuros bem cuidados e bonitos, as mulheres desta etnia os lavam no rio com um shampoo especial, composto com água que é utilizada para lavar o arroz.

Fonte: Oddity Central