14 fatos sobre a saúde do seu bumbum e também do seu intestino
27
Compartilhamentos

14 fatos sobre a saúde do seu bumbum e também do seu intestino

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Você já deve ter reparado: algumas partes do corpo humano são simplesmente polêmicas demais, e talvez por isso mesmo acabamos deixando de falar coisas importantes sobre elas. O BuzzFeed reuniu algumas informações bastante curiosas a respeito da saúde do bumbum e do intestino humano de modo geral – e elas são tão interessantes que resolvemos compartilhar com você. Confira:

1 – É normal ter espinhas nas nádegas. Se você sofre com esse problema, saiba que existem tratamentos específicos para ele: desde medicamentos até terapias a laser. Na dúvida, procure um dermatologista.

2 – Algumas pessoas têm o costume de usar lencinhos umedecidos depois do nº 2 e nem se dão conta de que os tais lencinhos, muitas vezes, acabam provocando alergias. O ideal é não dispensar o bom e velho papel higiênico e limpar a região com sabonete e água. É o que basta. Aliás, quanto mais neutro for o sabonete, melhor.

3 – O melanoma, a versão mais grave do câncer de pele, pode se desenvolver também no bumbum, ainda que você seja o tipo de pessoa que nunca toma sol nem mesmo quando vai à praia.

4 – É comum ter coceiras e irritações na região. Isso pode ser provocado por alergias a papel higiênico, sabonete, cremes ou, como já explicamos no segundo item da lista, lencinho umedecido. É preciso não ignorar esse tipo de reação, especialmente se ela for constante. Procurar ajuda médica é fundamental, pois assim você descobre se é alergia, acne, hemorroidas ou até mesmo algum tipo de câncer.

5 – Se você é o tipo de pessoa que tem intestino preso, saiba que há muitas justificativas para isso: você pode não ter uma dieta com a quantidade indicada de fibras ou pode até mesmo estar desidratado. Além do mais, a constipação intestinal pode ser um tipo de efeito colateral do uso de certos medicamentos. Se a constipação é crônica, ou seja, se você sofre com isso há muito tempo, procure ajuda médica.

6 – E a diarreia? Você já se perguntou por que isso acontece? Há uma série de motivos que podem deixar o intestino soltinho, soltinho: TPM; ingestão de algum alimento estragado ou malcozido; infecções virais ou bacterianas. O fato é que é preciso manter o corpo muito bem hidratado quando se está com diarreia, e, se os sintomas persistirem, procurar ajuda médica.

7 – Já as hemorroidas são causadas quando os vasos sanguíneos da região anal se dilatam – isso pode acontecer com quem tem intestino preso ou também quando a pessoa está com diarreia. Basicamente, qualquer tensão na região do ânus pode provocar as temidas hemorroidas. O problema é bastante comum inclusive em mulheres grávidas, que também podem sofrer com intestino preso.

Na fase inicial, o problema pode ser tratado com algumas mudanças alimentares: a dica é ingerir alimentos ricos em fibra e tomar sempre bastante água. Nessas situações, vale evitar fazer muito esforço físico – aliás, no quesito físico da coisa, o que pode aliviar um pouco é caminhar.

8 – Passar mais tempo “no trono” do que o necessário é um mau negócio, e por isso a recomendação é: nada de livros, revistas e celular na hora de ir ao banheiro. Quando você está ali, sentadinho e fazendo o nº 2, há um aumento de pressão na região anal, o que é um péssimo negócio para quem tem hemorroidas.

Essa posição pode fazer com que seus vasos dilatem. O ideal é sentar, fazer o cocô e sair logo do banheiro – o que não acontece quando nos distraímos com livros, revistas e afins.

9 – Ainda sobre hemorroidas: os sintomas do problema são muito parecidos com os de outras doenças mais sérias, então o ideal é nunca negligenciar o surgimento de qualquer sintoma, principalmente se for crônico, e procurar ajuda médica.

Entre os sintomas de hemorroidas estão: coceira na região anal, presença de sangue nas fezes e alguma proeminência ao redor do ânus, que você sente quando está se limpando. O problema é que todos esses sintomas são também de câncer, então nunca é demais contar com uma opinião médica.

10 – O câncer de cólon é tratável e curável, principalmente quando descoberto no início.

11 – Se você achava que estava com hemorroidas, foi ao médico, e ele disse que não é esse o problema, provavelmente você passará por um exame chamado colonoscopia, que é feito com a inserção de uma microcâmera no reto. Por esse exame, é possível descobrir se o problema está sendo causado por alguma úlcera, inflamação ou por algum pólipo, que é uma espécie de verruga e pode ser removido durante o exame.

12 – Se ninguém na sua família teve câncer de intestino, você deve fazer a colonoscopia depois dos 50 anos, mas, se há algum histórico da doença, o ideal é realizar o exame o quanto antes.

Existe até um cálculo para a idade ideal de realização do exame em quem tem algum membro da família com câncer: se seu pai foi diagnosticado com câncer de intestino aos 45 anos, então você deve começar a fazer os exames aos 35 anos, em vez de esperar até os 50.

13 – O preparo para a colonoscopia é o que mais preocupa quem vai fazer o exame; afinal, antes de passar pelo procedimento a pessoa precisa limpar todo o intestino, o que significa fazer uma dieta restrita por um ou dois dias e tomar laxantes.

14 – A síndrome do intestino irritável afeta duas vezes mais as mulheres do que os homens. Os sintomas incluem dor e desconforto intestinal, cólicas, desconforto com gases, constipação e diarreia.

O diagnóstico da síndrome não é simples, e, antes de chegar a ele, seu médico vai solicitar uma série de exames; afinal, a síndrome do intestino irritável pode ser confundida com a doença celíaca, que é a intolerância ao glúten. Para diagnosticar a síndrome, é preciso que os sintomas estejam presentes há mais de 3 meses e não sejam provocados por outros fatores.

É possível também que a síndrome seja confundida com a doença de Crohn e com a colite ulcerativa, que são outras duas doenças inflamatórias do trato intestinal. No final das contas, o recado é o mesmo e precisa ser levado a sério: é sempre fundamental procurar ajuda médica.

*Publicado em 31/03/2015

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.