Impressionante! Veja ilustrações de cirurgias feitas no século 19
198
Compartilhamentos

Impressionante! Veja ilustrações de cirurgias feitas no século 19

Último Vídeo

Hoje, passar por qualquer procedimento cirúrgico pode parecer uma situação comum, não levando em consideração, é claro, a gravidade do problema. De qualquer forma, com toda a tecnologia existente, de equipamentos e produtos como a anestesia, até procedimentos que antes eram considerados complexos agora são vistos como simples.

Mas todos os itens e acessórios que tornam as cirurgias mais fáceis hoje foram inventados ao longo da história, em momentos que as pessoas já passavam por procedimentos como esses. A anestesia como é conhecida atualmente, por exemplo, é relativamente recente na história da humanidade, aparecendo a partir da metade do século 20. Antes, no século 19, só eram realizadas algumas experiências com esse atributo, quase sempre com substâncias que dopavam os pacientes.

Então, com essa informação, você pode parar para pensar como era uma cirurgia realizada nessa época. “Se não tinha anestesia, então...” é isso mesmo. Muitos dos processos cirúrgicos, que em sua maioria eram amputações, eram feitos a frio, sem qualquer procedimento anestésico.

Sobre as operações realizadas no século 19, o historiador Richard Barnett produziu o livro “Crucial Interventions: An Illustrated Treatise on the Principles & Practice of Nineteenth-Century Surgery”. Na obra, ele reuniu textos raros de livros cirúrgicos e, principalmente, ricas ilustrações feitas na época, mostrando os detalhes de como se realizavam as operações naquele tempo.

A complexidade exibida pelas ilustrações impressiona, pois há uma grande quantidade de informações e detalhes retratados, o que as deixa com um tom bem realista. Confira as figuras na galeria abaixo. Atenção: as imagens podem ser perturbadoras para algumas pessoas.

O que você achou das ilustrações do livro de Richard Barnett? Comente no Fórum do Mega Curioso

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.