Ex-funcionária da Mozilla cria empresa para fazer jeans perfeitos para você
46
Compartilhamentos

Ex-funcionária da Mozilla cria empresa para fazer jeans perfeitos para você

Último Vídeo

Para as mulheres, sair às compras em busca de uma calça jeans que caiba perfeitamente é uma tarefa enlouquecedora – assim como para os homens que as acompanharem durante essa jornada. Por mais “equilibradas” que sejam a proporções de seus corpos, sempre é difícil encontrar aquela peça que se encaixe com precisão em suas pernas, quadril e cintura, ainda mais se considerarmos que cada marca pode usar numerações diferentes.

A solução definitiva para esse problema, no entanto, pode estar mais próxima do que imaginamos. Crystal Beasley, ex-desenvolvedora de web da Mozilla – a empresa responsável pelo navegador Firefox –, recentemente fundou uma empresa chamada Qcut que promete enviar às suas clientes calças jeans azuis feitas sob medida, tudo isso por um preço menor do que elas pagariam por uma peça de uma loja – que provavelmente não serviria perfeitamente.

Segundo Beasley, nenhum dos produtos de sua empresa será fabricado em massa, com cada peça sendo feita de acordo com as medidas exatas solicitadas e enviadas diretamente para o comprador. Dessa forma, é possível fazer roupas com tamanho customizado ao esmo tempo que se economizam gastos, já que não será necessário ter preocupações com gastos de aluguel de armazéns ou com os lucros dos revendedores do varejo.

Por que é tão difícil?

Normalmente, a dificuldade de encontrar uma calça que caiba perfeitamente é decorrente do fato de que as fabricantes determinam as proporções presentes nos diferentes números de seus produtos com base na média estatística das medidas de seus clientes. Como é bastante raro encontrar duas mulheres com variações exatamente iguais, também se torna pra lá de difícil criar uma peça de roupa que se encaixe em todas.

“O sistema de medida atual é burro. A moda é uma questão de autoexpressão, da arte, da subcultura e da forma como você quer se apresentar para o mundo. Isso é incrível, mas mesmo assim acabamos gastando muita energia experimentando as coisas porque não podemos simplesmente confiar no que está escrito nas etiquetas”, afirma Beasley.

De acordo com ela, seria necessário existirem cerca de 400 tamanhos diferentes de jeans para que 99% das mulheres tivesse como encontrar aquele que as servisse com perfeição. “Mesmo que fizesse sentido que as fabricantes produzissem isso, as lojas simplesmente não teriam espaço para armazenar esse montante de variações. E ainda que tivessem, a fabricação em massa dessa quantidade de produtos seria inviável”, explica.

Como funciona

Para garantir uma calça com o tamanho perfeito, a Qcut faz uma série de perguntas às suas clientes, incluindo o tamanho que normalmente usam, sua altura, peso, tamanho de sutiã e medida de seus pés. A relação entre esses valores permite que a empresa faça previsões do comprimento de suas pernas, a altura da cintura, quantidade de músculos e amplitude das curvas no corpo das mulheres.

Aumentando ainda mais a precisão da previsão, a empresa também questiona quais pontos das calças que elas adquirem normalmente não cabem nelas da melhor forma. Uma vez que o algoritmo da Qcut faça seus cálculos, as compradoras são qualificadas com um dos 400 tamanhos de calças possíveis. Por mais que seja impossível garantir que o processo resultará em jeans perfeitos para todas, Beasley afirma que os erros afetarão somente 1% das clientes.

Com uma campanha de financiamento em andamento no Kickstarter, a Qcut tem alguns desafios a superar antes de se tornar uma realidade. Segundo Beasley, um dos maiores problemas é decorrente do fato de que a maior parte da indústria da moda hoje moveu suas fábricas para outros países. “Isso significa que não sobraram muitas pessoas nos EUA com habilidade para fazer jeans. Teremos que treinar nossos funcionários do zero”, disse.

Primeiros passos

Ainda assim, Beasley acredita que os problemas serão superados e que a ausência do lucro dos varejistas e das taxas de inventário vai deixar amplo espaço para que a Qcut tenha lucro. Os jeans da empresa não serão baratos, custando entre US$ 170 e US$ 200 (aproximados R$ 443 e R$ 521) – ou US$ 100 (cerca de R$ 260) para quem colaborar no Kickstarter –, mas eles ainda custarão menos e caberão melhor que os produtos importados de marcas famosas.

Caso o empreendimento obtenha sucesso com as calças jeans, o próximo passo será expandir seu portfólio para outros tipos de roupas. “Nós escolhemos os jeans como o problema a enfrentar primeiro porque essa realmente é a questão mais difícil para a maior quantidade de mulheres. Depois que resolvermos isso, todo o resto será moleza”, conclui. Você pode conferir a página da campanha de financiamento clicando aqui.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.