Se você é fã de dinossauros ou se maravilhou com as criaturas trazidas ao cinema por Steven Spielberg em “Jurassic Park”, deve saber que os tiranossauros não eram bichinhos com os quais se podia dar um passeio no parque. No entanto, apesar de sempre terem sido retratados como animais super-rápidos, a verdade é que a velocidade de deslocamento desses incríveis répteis sempre foi motivo de debate entre os cientistas.

O site io9 publicou um interessante artigo sobre o tema, no qual explica que reconstruções desses dinossauros provenientes do século 19 costumavam retratá-los como criaturas ágeis e rápidas. Porém, em meados do século 20, essa noção mudou depois do surgimento de teorias descrevendo os T-Rex como lentos terópodas — bípedes carnívoros e omnívoros — arrastando enormes caudas e que mantinham uma postura quase completamente de pé.

Debates

Velociraptor Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Contudo, de algumas décadas para cá, o modelo de locomoção dos T-Rex foi mais uma vez revisado, e inúmeros estudos inclusive chegaram a sugerir que esse dinossauro era bem rápido, capaz de atingir velocidades de mais de 70 quilômetros por hora. As hipóteses mais recentes, entretanto, apontam mais para um meio termo — nem lerdo nem “The Flash” — com relação ao deslocamento desses monstrões pré-históricos.

Os paleontólogos acreditam que os tiranossauros corriam entre 5 e 11 metros por segundo, o que se traduz em uma velocidade entre 18 e 42 quilômetros por hora. Isso significa que, a não ser que você seja um atleta de elite do calibre de Usain Bolt — que é o homem mais rápido do planeta e consegue chegar a 45 km/h —, se você tiver que correr de um T-Rex em boa forma, provavelmente vai virar comidinha de réptil.

Deixemos o “tirano” pra lá

Alossauro Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Mas e os dinossauros menores, como os — malditos — velociraptores, dilofossauros, compsógnatos e alossauros que, assim como o T-Rex, também eram terópodas e carnívoros? Uma dupla de paleontólogos da Universidade de Manchester decidiu realizar algumas simulações com base na estrutura muscular e esquelética dessas criaturas, obtidas através de modelos fósseis, comparando seus desempenhos com os de humanos, avestruzes e emus.

As simulações confirmaram a hipótese de que o T-Rex alcançava velocidades médias de aproximadamente 30 km/h, mas também revelou que, quanto menor o dinossauro, mais rápida era a sua locomoção. A boa notícia? Do time de bestas sanguinárias acima, a que ofereceria mais probabilidades de que um humano escapasse com vida é o tiranossauro — considerando que o bicho estivesse em má forma física e tendo um dia preguiçoso!

Fonte da imagem: Reprodução/io9

Portanto, até que surjam novas teorias, considerando variáveis — como outro peso ou novas estruturas anatômicas — que poderiam alterar a velocidade estabelecida mais recentemente, o melhor mesmo é agradecer todos os dias por não termos que apostar corridas com os tiranossauros ou qualquer de seus amigos.