Pílula faz com que você não precise mais de um transplante de cocô
143
Compartilhamentos

Pílula faz com que você não precise mais de um transplante de cocô

Último Vídeo

Se você nunca sofreu com uma infecção de Clostridium difficile, ou mesmo que já tenha passado por isso, pode comemorar. Um pesquisador da Universidade de Calgary desenvolveu uma pílula com bactérias que fazem bem para o trato intestinal e ajudam a se livrar do microrganismo nocivo sem ter que recorrer ao tradicional transplante fecal. Em outras palavras, você não precisa mais comer o cocô alheio.

A C. difficile é uma infecção particularmente incômoda, que causa vômito, cólicas e diarreia incontrolável, afeta em torno de meio milhão de norte-americanos e mata cerca de 14 mil por ano. Até agora, o método mais efetivo de tratar a doença era literalmente transplantar o cocô de outra pessoa para o corpo do paciente, o que pode ser feito por meios de tubos que vão garganta abaixo ou nariz acima, ou ainda pela introdução direta no ânus.

Com isso em mente, o pesquisador Thomas Louie teve a brilhante ideia de retirar todas as bactérias úteis do cocô e colocá-las em uma pílula. A amostra de fezes é recolhida de um parente do paciente, decomposta, limpa e colocada em uma capsula que permanece intacta até atingir o trato digestivo. Já que o tratamento para matar a C. difficile também elimina os microrganismos benéficos, o conteúdo do “remédio” ajuda o intestino a voltar ao normal.

O futuro é uma m...

O único problema da forma atual do tratamento é que cada pílula tem que ser feita sob medida para cada paciente. No entanto, os médicos estão otimistas de que serão capazes de encontrar doadores universais. Dá para imagina que no futuro, além dos bancos de sangue, teremos também bancos de cocô.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.