Para combater “cola”, faculdade ordena que mangas de roupas sejam cortadas
44
Compartilhamentos

Para combater “cola”, faculdade ordena que mangas de roupas sejam cortadas

Último Vídeo

Quem nunca teve — ou ouviu falar de — um professor que tinha um método “infalível” para evitar que os alunos colassem nas provas? Inclusive existem instituições de ensino que criam estratégias para tentar combater o que, no fundo, não pode ser combatido, e uma faculdade na Índia resolveu tomar uma medida que está dando o que falar.

De acordo com uma notícia compartilhada pelo portal The Guardian, a faculdade — situada no distrito de Bihar, em Muzaffapur — ordenou que as mangas das roupas de estudantes se apresentando para uma prova para cursar enfermagem fossem cortadas com tesouras e navalhas. Mas apenas das vestimentas das mulheres. Os estudantes do sexo masculino não foram incluídos na ação.

"Coladores"

Segundo a publicação, estudantes de várias regiões da Índia se apresentaram na instituição para a realização da prova e, ao chegar, as garotas se depararam com funcionários armados com tesouras e outros utensílios para cortar suas roupas, dizendo que as que se recusassem a cooperar seriam impedidas de fazer o teste. O estranho é que os rapazes não tenham entrado na dança... Como se os meninos não colassem também!

Estudantes em sala de aula(The Guardian/Alamy)

Enfim, o caso aconteceu nesta segunda-feira, dia 14 de maio, e imagens das meninas sendo abordadas pelo pessoal da faculdade e mostrando as mangas cortadas foram mostradas em rede nacional na Índia. Parece que a iniciativa foi motivada pelos altos índices de “cola” registrados em Muzaffapur, que só em fevereiro deste ano expulsou quase mil alunos da rede pública pela prática.

Na realidade, escrever lembretes nos braços está longe de ser o único método de cola que existe. E não pense que o pessoal da faculdade subestima a engenhosidade e a capacidade criativa dos estudantes. A situação envolvendo fraudes é bastante crítica na Índia e a medida de cortar roupas está longe de ser a mais invasiva já aplicada no país.

De acordo com o The Guardian, em 2016, candidatos que se apresentaram para uma prova de ingresso no exército nesse mesmo estado — o de Muzaffapur — tiveram que fazer os exames só com as roupas de baixo, e em outra ocasião todo mundo teve que realizar as avaliações descalço. Inclusive existe uma máfia envolvendo a compra e venda de testes e de respostas das questões que caem nas provas que o Governo tenta desmantelar há anos. No vídeo abaixo, por exemplo, é possível ver parentes ajudando estudantes a colar!

***

Sabia que fãs de filmes e séries agora estão no Clube Minha Série? Neste espaço, você também pode escrever e encontrar outros especialistas sobre seus programas favoritos! Acesse aqui e participe.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.