Paulo Coelho promete doar livros para escolas e livrarias na África

Paulo Coelho promete doar livros para escolas e livrarias na África

Último Vídeo

O sucesso de Paulo Coelho começou em 1988, quando lançou o best-seller “O Alquimista”. A história do garoto pastor nas pirâmides do Egito, em busca da fortuna, vendeu milhares de cópias no exterior, em 1993, quando foi traduzido para o inglês. O sucesso, escrito por Paulo Coelho em duas semanas, foi lido desde por pessoas comuns até por líderes, como Bill Clinton.

Foto: Niels Ackermann

Seu sucesso segue enorme até hoje e, agora, Paulo Coelho quer dar a chance de ler suas histórias para os africanos. Em um tweet, o autor disse que comprará os livros com as editoras, para distribuir para escolas e livrarias africanas, tornando seus livros mais acessíveis.

O autor solicitou que os pedidos fossem feitos por e-mail. Pelas respostas no próprio tweet, a notícia atraiu desde leitores individuais, até organizações em países como Djibouti, Madagascar, Quênia e Tanzânia.

Caso seja atendido o pedido, os leitores terão acesso às dezenas de livros do autor, que incluem memórias, coletâneas, marcações, e alguns dos best-sellers, como “O Diário de um Mago”.

Não é de hoje é Paulo Coelho é conhecido por tornar suas obras acessíveis, por isso seus fãs não se surpreenderam com a ação. Paulo Coelho já defendeu firmemente que seus livros tenham preços justos e sempre quis que a tradução fosse feita por tradutores locais.

Foto:Philip Volsem

Além disso, ele também já divulgou seus livros fora da linha das grandes cidades, para que todos tivessem acesso às obras. “Por toda a minha vida, as coisas mais importantes que aprendi vieram de pessoas normais.”, contou em entrevista ao New York Times.

Após grande repercussão, Paulo Coelho avisou que diminuiria a área de doação e que, por enquanto, doaria apenas para a África subsaariana.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.