5 'esquemas de pirâmides' que deram errado
06
Compartilhamentos

5 'esquemas de pirâmides' que deram errado

Último Vídeo

Todo mundo já deve ter escutado sobre empresas que trabalham com “esquema de pirâmide”, ou seja, é um modelo comercial muito usado em fraudes que depende do recrutamento constante de investidores que, no caso, o golpista inicial convence outras pessoas a entrarem no negócio investindo um valor inicial. A partir disso, elas passam a convencer outras pessoas a também entrarem investindo esse mesmo valor e a empresa te promete ganhar uma porcentagem por cada pessoa que indicar. Infelizmente, a pirâmide não se sustenta, pois se todos decidirem “sacar” o dinheiro investido a pirâmide desaba. A pilantragem foi inventada em 1920 nos EUA pelo italiano Carlo Ponzi, e a seguir, mostraremos alguns exemplos de empresas que tiveram seus negócios por água abaixo após serem caracterizadas como “esquema de pirâmide”.  

1.Holiday Magic

Fonte: Toptenz

Empresa que vendia cosméticos para mulheres como batom, perfume e loção incentivava elas a gastar para ser uma pessoa séria. Para começar a trabalhar com eles, bastava pagar cerca de US$ 50 para tornar-se uma “garota de férias” e conforme fosse gastando seria chamada de “general”. O marketing da empresa para cada vez mais juntar pessoas que representassem os produtos acima era enviar uma esteticista na casa das clientes através de uma consulta gratuita e assim convencer estranhos a fazer demonstrações e vender para amigos e parentes próximos. Dessa forma, a empresa durou 10 anos, e em 1974 criou um fundo que protegia US$ 2.600.000 do que recebiam das vendas. Pouco tempo depois foi declarada fraudulenta, tendo que indenizar cada indivíduo que se juntou à empresa. Devido a isso, sua reputação foi por água abaixo e foram obrigados a fechar.

2. United Sciences of America

Fundada em 1986, a empresa trabalhava com suplementos nutricionais e pós de shake de proteína. Em 1989, dois anos após a criação da empresa, o CEO estava tão confiante que alegou que eles seriam a empresa que mais crescia na América. Lógico que não havia dados concretos que comprovavam isso, mesmo tendo uma longa lista de cientistas de prestígio que endossavam seus produtos. Mas, poucos sabiam que esses cientistas chegavam a ganhar entre US$ 10.000 e US$ 20.000 por ano em troca dos comerciais. Depois de alguns anos, mais de 140 mil pessoas trabalhavam como distribuidores para a empresa United Sciences of América. Após a empresa ser caracterizada como um "esquema de pirâmide", em 1997 eles declararam falência.

3. Equinox Internacional

Bill Gouldd fundou a empresa com o intuito de vender filtro de água e vitaminas. A propaganda foi o diferencial, pois na época se tornou a empresa número 1 em crescimento mais rápido na empresa Inc Magazine. A publicidade que receberam na revista mascarava ainda mais e as pessoas nem imaginavam que a empresa era uma farsa e isso fazia com que mais gente se juntasse a empresa. O faturamento deles chegava a ser US$ 195 milhões por ano e cada pessoa que entrou para o negócio chegou a investir em média US$ 2.500 para participar de conferências de liderança e treinamentos para aprender como se tornar um de seus vendedores. Por 10 meses, a Federal Trade Commission ficou investigando a empresa até descobrir que a Equinox seguia a mesma linha de fraude já citada, logo, acabaram declarando falência.

4. Solavei

Essa empresa oferecia serviços de telefonia celular, que custava em média US$ 49 por mês, mas se você convencesse amigos e familiares a adquirir também, eles reduziriam o valor da sua conta para US$ 20 a cada três pessoas do seu círculo de amizades. Muitas pessoas viram isso como uma maneira de obter o serviço gratuito, enquanto outras viam isso como uma oportunidade de negócios. O serviço que eles ofereciam foi construído a partir de um pacote da T-Mobile, que já existia. A empresa chegou a arrecadar US$ 3,6 milhões e, em 2015, declarou falência, dizendo que existia muita competitividade no mercado. Muitos dos seus clientes migraram para a T-Mobile, pois a maioria já usufruía do serviço.

5. MonaVie

Por último, mas não menos importante, essa empresa vendia suco de frutas, bebidas energéticas e mistura de bebidas em pó. No começo, eles criaram um canal no YouTube, no qual incluíam vídeos de depoimentos de pessoas que alcançaram o nível de “Black Diamond” vendendo os produtos MonaVie. Sabe aqueles anúncios de pessoas que diziam trabalhar 15 horas por dia vendendo um determinado produto e conseguiram comprar uma Mercedes? Então, esse tipo de depoimento estava na cara de que era bom demais para ser verdade. A empresa foi processada diversas vezes e em 2014 os três fundadores decidiram se aposentar e venderam suas ações da empresa. Não conseguiram quitar alguns empréstimos e tiveram que fechar para sempre.

Esses foram alguns exemplos de empresas que trabalham com "esquema de pirâmide" e se algum dia você já pensou em trabalhar com alguma empresa que possui a mesma filosofia de investimento, aqui vai uma dica: fuja, pois pode ser cilada!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.