Cientista planetário revela algumas curiosidades sobre Plutão
114
Compartilhamentos

Cientista planetário revela algumas curiosidades sobre Plutão

Último Vídeo

Se você gosta de aprender coisas novas a respeito da vida, do Universo e tudo o mais, as informações a seguir, retiradas da revista Time, vão, com certeza, deixar você maravilhado. O que você sabe, afinal de contas, a respeito de Plutão, nosso querido ex-planeta?

Já parou para pensar se Plutão tem crateras, luas, anéis ou atividades vulcânicas? Não? Então confira as respostas a seguir. Elas foram dadas por Alan Stern, cientista planetário do Southwest Research Institute, que falou a respeito da New Horizons, a sonda espacial responsável por coletar informações do astro. Stern pesquisa sobre Plutão há décadas e há 15 anos trabalha com a New Horizons. Confira o que ele disse:

1 – Crateras

Você já imaginou como é a superfície de Plutão? Será que ela se parece com o solo de Marte? Ou com a Lua, cheia de crateras? Saiba que em Plutão a superfície é formada por uma camada grossa de gelo de azoto, o que garante uma consistência macia à superfície e torna o ambiente impróprio para a formação de crateras muito profundas e duradouras. A superfície pode ter também nitrogênio líquido, o que dificultaria ainda mais o aparecimento das formações. Portanto: nada de crateras em Plutão.

2 – E oceano, tem?

Provavelmente, sim, em alguma região abaixo da superfície. Afinal, quanto mais profunda a região, maior é a pressão exercida. Essa pressão pode ser tão alta a ponto de derreter o gelo da superfície e transformá-lo em água.

De acordo com Stern, a sonda New Horizons  pode ser capaz de detectar oceano em Plutão em breve, quando conseguir medir com precisão o formato do ex-planeta e procurar rachaduras que possam indicar uma flexão na crosta, o que é, geralmente, um indicativo de um oceano subterrâneo.

3 – Quantas luas Plutão tem?

Até o momento os cientistas sabem que Plutão tem pelo menos cinco Luas, mas esse número pode ser ainda maior, pois é o resultado de observações feitas da Terra. Para Stern, a sonda pode resolver esse problema e, em breve, informar ao certo quantos satélites naturais há ao redor do corpo. Por enquanto, a principal lua de lá é a Charon.

4 – Há anéis em Plutão?

De acordo com Stern, é possível que Plutão tenha anéis, mas não se pode dizer isso com análises feitas a partir da Terra. O que se sabe é que as luas Nix e Hydra, de Plutão, têm gravidade baixa o suficiente para que formassem os "acessórios" ao redor do planeta anão.

5 – Em Plutão há atividades geológicas?

Apesar de ser um lugar extremamente gelado, se houver algum tipo de oceano subterrâneo em Plutão, possivelmente há eventos como vulcanizações e gêiseres. É possível até mesmo que em Plutão existam placas tectônicas.

Bônus

Você deve se lembrar de que, em 2006, Plutão deixou de ser considerado um planeta. Até hoje ainda se fala muito a respeito e, segundo Stern, tudo depende de um ponto de vista. Para ele, Plutão é um planeta, sim, mas, como a classificação parecia não agradar a todos, o próprio Stern criou o termo que, hoje, por via das dúvidas, quase todo mundo usa: planeta anão.

Em um debate recente realizado em Harvard, falou-se sobre essa questão dos planetas anões: para os cientistas, é melhor não considerá-los planetas porque são muitos planetas pequeninos espalhados por aí. E aí, você acha que essa desculpa cola?

E essa sonda? Você já tinha ouvido falar sobre ela?

A New Horizons ficou em estado de hibernação e, depois de quase dez anos e de uma viagenzinha de 4,8 bilhões de Km, a sonda foi acordada e deve começar sua missão já em janeiro de 2015. A região onde Plutão está localizado é chamada de Cinturão de Kuiper – lá, há muitos outros planetinhas, vem daí a necessidade da nomenclatura criada por Stern.

Conforme a explicação de Stern, a sonda New Horizons é muito mais eficiente do que as outras cinco que já tentaram ser enviadas a Plutão sem sucesso. “É como se fosse um tablet moderno comparado com um computador velho”, explicou o cientista.

Além disso, a sonda é considerada o veículo espacial mais rápido já enviado ao espaço aqui da Terra. O cientista explicou também que ela pode ir além de Plutão, dependendo das decisões da NASA.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.