As 11 melhores fotos deste concurso fotográfico vão impressionar você
103
Compartilhamentos

As 11 melhores fotos deste concurso fotográfico vão impressionar você

Último Vídeo

Do espaço sideral ao bocejo de um primata sonolento, a fotografia tem o poder surpreendente de eternizar as maravilhas do lugar em que vivemos. Ciente disso, há dez anos, a Wikimedia Commons, repositório de imagens mantido pela Fundação Wikimedia — a mesma da Wikipédia —, realiza um concurso fotográfico que elege as melhores imagens postadas por seus usuários. A seguir, você confere as vitoriosas deste ano:

11º lugar

No sul da Colômbia, na cidade de Ipiales, fica o Santuário de Las Lajas, um local de peregrinação popular onde, em 1754, teria ocorrido a aparição da Virgem Maria. A construção em estilo gótico começou a ser construída em 1916 e levou 33 anos para ficar pronta, substituindo outro templo erguido no século 19. 

(Foto: Diego Delso)

10º lugar

A primeira linha do metrô de Estocolmo, capital da Suécia, começou a operar em 1950, e de lá para cá o sistema metroviário da cidade só se expandiu: atualmente são 105 quilômetros que atendem cerca de 1 milhão de passageiros por dia. Entre todas as estações, o destaque fica para a estação Rådhuset, na qual os usuários parecem estar no interior de uma caverna esculpida no meio das rochas.

(Foto: Arild Vågen)

9º lugar

Encontrada predominantemente no Sul do Brasil e em algumas partes do Sudeste, a Mata das Araucárias é um dos biomas do país que mais foram desmatados — estima-se que menos de 2% da sua vegetação original estejam preservados. A araucária (ou pinheiro-do-paraná) são estas imponentes árvores que chegam a atingir 50 metros de altura, das quais vem o pinhão, semente que é bastante utilizada na culinária da região. 

(Foto: Heris Luiz Cordeiro da Rocha)

8º lugar

Registro fofinho do bocejo de um filhote de macaco-japonês, espécie endêmica do sul do Japão. Quando for adulto, seu rosto vai ganhar tons avermelhados e, para espantar o frio do rigoroso inverno do país, ele vai tomar demorados banhos em fontes de água termais.

(Foto: Daisuke Tashiro)

7º lugar

Este fotógrafo capturou o momento exato da queda de diversos raios nesta praia de Port-la-Nouvelle, banhada pelo Mar Mediterrâneo, no sul da França.

(Foto: Maxime Raynal)

6º lugar

Os telescópios da NASA capturaram estas gigantescas colunas de gás e poeira conhecidas como Pilares da Criação, localizadas na Nebulosa de Águia, a 7 mil anos-luz da Terra. Embora tenham sido destruídas há milhares de anos depois de colidirem com uma supernova, nós ainda conseguimos vê-las intactas. O motivo? Como a luz precisa percorrer uma distância enorme para chegar até nós, os eventos astronômicos aparecem bem depois de terem acontecido. 

(Foto: NASA)

5º lugar

A cachoeira Seljalandsfoss é uma pitoresca queda-d’água de 60 metros com uma pequena caverna ao fundo, por onde os turistas podem caminhar e registrar belas imagens.  Ela é uma das muitas atrações naturais da Islândia, país insular do tamanho do estado de Pernambuco encravado no Atlântico Norte. 

(Foto: Diego Delso)

4º lugar

Este registro mostra o interior da imensa biblioteca da universidade Trinity College, em Dublin, na Irlanda, que possui nada mais nada menos do que 200 mil volumes. O campus da instituição, inaugurado em 1592, é uma das construções mais emblemáticas da capital irlandesa e sua imponência arquitetônica atrai inúmeros visitantes todos os anos. 

(Foto: David Iliff)

3º lugar

Do estado norte-americano da Califórnia vem esta imagem que mostra a silhueta de uma mulher debaixo de um céu estrelado. A foto foi feita em Trona Pinnacles, um conjunto de falhas geológicas situado próximo do Vale da Morte, uma das regiões mais secas do planeta. 

(Foto: Ian Norman)

2º lugar

O colorido vitral desta mesquita produz um efeito belíssimo quando refletido na tapeçaria persa. O registro foi feito em um templo da cidade de Shiraz, no Irã, país que abriga construções religiosas hipnotizantes.

(Foto: Ayyoubsabawiki)

1º lugar

A imagem vencedora do concurso fotográfico foi feita pela sonda New Horizons, da NASA, na superfície de Plutão, mais especificamente em uma área do planeta-anão que lembra bastante a forma de um coração. Como nós já mostramos aqui, esta formação geológica, que ocupa 900 mil quilômetros quadrados — mais ou menos o mesmo tamanho da Venezuela —, é uma planície gelada chamada Sputnik Planum, que, diferente das outras partes da superfície do astro, não conta com crateras de impacto. 

(Foto: NASA)

Para conhecer as melhores fotografias dos outros anos, acesse aqui.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.