(Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia)

Segundo uma notícia publicada pelo site IPS, um grupo de pesquisadores brasileiros deve iniciar a clonagem de animais em risco de extinção. O projeto surgiu de uma parceria entre o Jardim Zoológico de Brasília e a EMBRAPA e prevê a clonagem de oito espécimes, dos quais diversos estão presentes na Lista Vermelha da IUCN.

O objetivo do projeto é aperfeiçoar as técnicas de clonagem de animais selvagens, assim como aumentar o número de espécimes saudáveis em cativeiro para procriação, evitando a necessidade de que sejam capturados em seus habitats para esse fim. De acordo com a publicação, os pesquisadores já contam com um banco de mais de 400 amostras de material genético, coletados ao longo de dois anos de trabalho.

Contudo, os pesquisadores afirmam que a iniciativa não tem como proposta utilizar os clones para repovoar a natureza, a não ser, é claro, que não tenham outra escolha para evitar o desaparecimento de alguma espécie. O problema de utilizar animais clonados para esse fim implica na perda de diversidade genética, e os cientistas não sabem quais seriam as consequências dessas ações.

Entre os animais que participarão do projeto, se encontram a onça-pintada, o lobo-guará, o mico-leão-preto e o tamanduá-mirim.