Terror real: personagens de American Horror Story existiram de verdade!
1.044
Compartilhamentos

Terror real: personagens de American Horror Story existiram de verdade!

Último Vídeo

Se você é fã de carteirinha de “American Horror Story” e não perde um episódio sequer, deve saber que na última terça-feira estreou aqui no Brasil a terceira temporada da série — se você não estava sabendo, pode conferir mais informações com o pessoal do Minha Série —, que recebeu o nome de Coven e mistura elementos de ocultismo, sadismo e fatos históricos.

O mais interessante é que essa temporada traz entre os protagonistas dois personagens que existiram na vida real, e nós aqui do Mega Curioso inclusive já falamos um pouquinho sobre um deles — Delphine LaLaurie, uma “demônia” que viveu em New Orleans no século 19.

No entanto, para que esses personagens inspirassem uma temporada inteira de contos de terror, imagine só a quantidade absurda de maldades e bruxarias que eles aprontaram no passado! Pensando nisso, decidimos trazer para você mais detalhes sobre essas figuras históricas e seus papéis na série “American Horror Story”. Preparado?

Ricaça sádica

Fonte da imagem: Reprodução/starcasm.net

Um dos personagens reais que aparecem na série é Delphine LaLaurie — interpretada pela genial Kathy Bates —, proveniente de uma importante família de New Orleans. Além de ser proprietária de plantações, LaLaurie construiu uma mansão de três andares que existe até hoje e está aberta para visitação.

Era principalmente no sótão dessa casa que os horrores aconteciam, e graças à posição social da ricaça, eles passaram despercebidos por muito tempo. Relatos da época descrevem os escravos de LaLaurie como criaturas extremamente extenuadas e com aparências deploráveis, o que inclusive motivou algumas investigações.

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Há também o testemunho de um vizinho que presenciou o suicídio de uma jovem escrava que teria preferido a morte a ser castigada pela “demônia”. A jovem teria puxado alguns fios emaranhados de LaLaurie enquanto escovava os cabelos da mulher . Como contamos na matéria anterior, a ricaça só foi descoberta depois de um incêndio na mansão, iniciado por dois escravos que ficavam acorrentados na cozinha.

Um deles, uma senhora de 70 anos, confessou que o incêndio era uma tentativa de suicídio para escapar das punições de LaLaurie. Além disso, pessoas que foram ao local para ajudar encontraram no sótão um cenário aterrador: vários escravos mutilados, presos em pequenas jaulas, esfolados, com as bocas costuradas, alguns acorrentados às paredes e até pedaços de corpos espalhados pelo local.

Fonte da imagem: Reprodução/The Huffington Post

A população, revoltada com as maldades de LaLaurie,  quase destruiu a mansão completamente, e a ricaça sádica acabou fugindo, indo parar primeiro em uma cidade de Atlanta e, depois, em Paris. Não existem muitas informações sobre a vida de LaLaurie após ela ter escapado, mas em 1924 uma plaquinha de cobre com o nome da sádica foi encontrada no cemitério St. Louis, em New Orleans.

Existem registros de que, durante as escavações realizadas na propriedade, foram descobertos entre 60 e 70 corpos de escravos, sendo que muitos deles mostravam evidências de terem sido enterrados vivos. As lendas locais contam ainda que LaLaurie costumava arrancar as unhas e os olhos dos desobedientes.

A Rainha do Vodu

Fonte da imagem: Reprodução/starcasm.net

O outro personagem baseado em uma pessoa real que aparece na terceira temporada de “American Horror Story” é Marie Laveau — protagonizada por Angela Bassett —, conhecida até hoje como Rainha do Vodu. Acredita-se que Marie, filha de mãe negra e de pai branco, nasceu livre e viveu bem próximo à propriedade de LaLaurie. As duas inclusive foram contemporâneas, mas não se sabe com certeza se algum dia seus caminhos se cruzaram, como ocorre na série.

Laveau foi casada com um haitiano com quem teve 15 filhos — entre eles Marie Laveau II — e trabalhou como cabeleireira das damas mais proeminentes de New Orleans. Não existem muitas informações sobre as atividades de Laveau relacionadas ao vodu, mas seu “poder” como vidente era muito temido. Contudo, a incrível habilidade de ler o futuro provinha de uma rede de informantes que a cabeleireira mantinha nas casas dos patrões abastados.

Fonte da imagem: Reprodução/The Daily Multiracial

De qualquer maneira, ao mesmo tempo em que havia pessoas que temiam Laveau, existem relatos de que ela era uma habilidosa curandeira, e que durante 40 anos a população de New Orleans se referiu a ela como a Rainha do Vodu. Quando faleceu (em 1881), os jornais respeitosamente anunciaram a sua morte, mas o mais interessante é que existem testemunhos de muita gente que continuava a vê-la pela cidade.

Muitos acreditam que Marie Laveau II — a filha — assumiu a identidade da mãe e ocupou seu lugar como Rainha do Vodu, e a história das duas inclusive se confunde em vários pontos. Laveau “mãe” foi sepultada no mesmo cemitério no qual LaLaurie teria sido enterrada, e seu túmulo é muito visitado até os dias de hoje. Além disso, ao contrário da ricaça sádica, Laveau é uma figura histórica muito respeitada em New Orleans.

***

A partir dessas informações é fácil deduzir que esta temporada de “American Horror Story” contará com uma interessante batalha entre o bem e o mal, com interessantes elementos de terror, maldade e ocultismo. Além disso, o fato de os produtores terem baseado alguns dos protagonistas em personagens históricos só torna toda a trama muito mais interessante, você não acha?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.