Coisas inusitadas e bizarras encontradas por novos proprietários
401
Compartilhamentos

Coisas inusitadas e bizarras encontradas por novos proprietários

Último Vídeo

Aproximadamente 99% das histórias de casas assombradas começam da mesma maneira: os novos proprietários se mudam para uma residência que parece boa demais para ser verdade.

Depois, há algum prenúncio de algo errado, rumores dos vizinhos e, finalmente, uma descoberta macabra. Mas essa cadeia de eventos não acontece apenas em filmes. Confira abaixo alguns casos reais de coisas estranhas que novos proprietários de algumas casas encontraram.

1 – Um antigo cemitério embaixo da casa

Fonte da imagem: Shutterstock

Não é novidade em filmes ou em séries o fato de uma casa mal-assombrada ter essa característica por ter sido construída em cima de um antigo cemitério (comum ou indígena, como foi o caso do filme “Poltergeist – O Fenômeno”). Na ficção, coisas estranhas e aparições fantasmagóricas começam a acontecer na residência construída sobre o “leito eterno” dos mortos.

No entanto, na vida real, o mais provável é que nada aconteça — a não ser o fato um tanto incômodo de ter várias ossadas abaixo do chão de seu doce lar. Pois foi isso o que aconteceu com a família de Helen Weisensel, que descobriu, de uma forma bastante desagradável, que havia um cemitério abaixo de sua casa.

Ao fazer uma reforma no porão da casa em que acabava de se mudar (no estado americano de Wisconsin), Helen trabalhava com uma pá quando atingiu um crânio infantil enterrado. Imagine qual não foi a surpresa quando ela e seu marido descobriram que havia muitos mais por lá ao fazerem algumas pesquisas na vizinhança e nos arquivos da cidade.

Fonte da imagem: Shutterstock

Eles descobriram que a casa estava construída em cima de um velho cemitério há muito tempo esquecido, que os arqueólogos e historiadores locais estimaram que tivesse cerca de 170 anos de existência. Mas o pesadelo da família Weisensel não acabaria com os ossos de uma criança sendo desenterrados de debaixo de onde eles dormiam: eles ainda tiveram que lidar com a verdadeira maldição conhecida como burocracia.

Como a casa precisava de um sério trabalho na fundação para retirar todos os restos mortais e refazer as bases, o lugar ainda se tornou um terreno histórico oficial. Dessa forma, para seguir com as obras, Helen foi juridicamente obrigada a obter o aval da Sociedade Histórica Estadual, que por sua vez exigia a contratação de um arqueólogo para supervisionar todo e qualquer trabalho, o que lhe custou 100 dólares por hora. Depois de 15 longos meses, a família teve a sua casa de volta.

2 – Paredes cheias de cobras

Fonte da imagem: Shutterstock

Parece coisa de filme, e daqueles mais do estilo “trash”, mas essa história que você vai conhecer agora aconteceu de verdade. Quando o casal formado por Ben e Amber se mudou para a sua nova casa na cidade de Idaho, eles acharam que o lugar era um sonho. Porém, logo depois da mudança, Ben encontrou mais de 40 cobras em seu quintal em um único dia.

O que já tinha começado de forma estranha ficou ainda pior. Não muito tempo depois, o casal passou uma noite sem dormir ouvindo um ruído de algo que parecia deslizar em suas paredes. Quando Ben retirou um painel da parede de dry wall (material bastante utilizado nas casas dos Estados Unidos), dezenas de cobras saíram de lá. Imagine o susto!

A "casa das cobras" Fonte da imagem: Reprodução/Katu News

A inspeção angustiante na manhã seguinte revelou a enormidade da situação: a sua nova casa dos sonhos estava em cima de um enorme hibernáculo de cobras, ou seja, um gigante ninho que algumas espécies utilizam para hibernar e se reproduzir.

Com isso, todas as implicações dessa situação vieram à mente de Ben, como o gosto e o cheiro estranho da água que saía das torneiras. Uma consulta com um herpetólogo revelou que os dejetos das cobras podem causar doenças, como intoxicações e vermes, além do perigo das picadas — tudo o que casal não precisava para eles e seus dois filhos pequenos. Além disso, Amber estava grávida de mais um bebê. O que fazer então?

Durante a angústia da família, Amber estava assistindo TV certo dia, quando viu uma breve história local sobre outra família que havia fugido de uma casa devido a uma infestação de cobras. “Nós não estamos sozinhos!", ela deve ter pensado. No entanto, ela notou que a casa mostrada na notícia estava na mesma cidade que a dela — ou, ainda melhor, que o noticiário estava se referindo à casa dela!

Imagem de uma, entre centenas, das cobras encontradas Fonte da imagem: Reprodução/Katu News

Amber então descobriu, a partir dos próprios proprietários anteriores, que eles haviam abandonado o local sem pensar duas vezes. O que eles não imaginavam é que a empresa imobiliária teve realmente coragem de vender aquele “covil do inferno” para outra família.

No final, o casal descobriu que a única maneira de neutralizar o problema do gigante ninho de cobras seria derrubar toda a casa, retirar a fundação e refazê-la com concreto, o que custaria pelo menos 100 mil dólares à família. Com isso, eles também abandonaram o local, tendo que pedir falência no processo.

Quando eles descobriram que uma placa de "Vende-se" tinha sido colocada lá novamente, foram para os meios de comunicação a fim de salvar as próximas vítimas da imobiliária mercenária.

3 – Paredes que vazavam algo pegajoso

Uma das paredes e o chão da casa Fonte da imagem: Reprodução/CNN

Quando se pensa em algo pegajoso relacionado a casas mal-assombradas, lembramos muito do filme “Os Caça-Fantasmas” e os ectoplasmas liberados pelas manifestações fantasmagóricas ou mesmo pelo famoso “Geleia”. No entanto, quando algo pegajoso começa a escorrer nas suas paredes na vida real, é algo muito estranho a se investigar.

Foi o que aconteceu com Debbie Hill, quando ela se mudou para sua casa recém-adquirida no Colorado, em um dia quente de verão. Assim que levou as suas coisas para lá, percebeu que um líquido denso e acastanhado estava escorrendo pelas paredes da casa.

No início, ela não sabia o que era a misteriosa substância. Depois, ela chegou mais e mais perto, cheirou e, acredite, provou o líquido, que era doce como o mel. Na verdade, era mesmo mel. Antes de comprar a casa, ela tinha ouvido falar sobre a forma como os proprietários anteriores tinham exterminado uma colmeia enorme que tinha sido encontrada nas paredes. Porém, ela achava que o problema tinha sido resolvido.

Ela então chamou um especialista em abelhas, Gregg McMahon, que esclareceu o que estava acontecendo por lá: "No verão, as abelhas mantêm a colmeia e seu mel frescos no tempo quente. Como as abelhas já não estavam mais por lá para manter sua colmeia fresca, o mel que ainda ficou nas paredes começa de fato a ficar mais líquido com o calor e escorrer”.

Isso poderia causar uma fonte muito atrativa para ratos e insetos. É o tipo de coisa que não é fácil de resolver ou que envolve o custo enorme para arrancar as paredes e reconstruí-las. Por essa razão, Debbie Hill contou com a agência local de notícias para angariar alguma ajuda para custear a reforma. Pelo menos por um tempo, o mel para as panquecas estava garantido.

* * *

Outras coisas esquisitas encontradas por novos proprietários:

Uma bomba: o caso aconteceu no estado norte-americano de Indiana. Linda DeForest estava varrendo seu novo porão quando se deparou com algo verde, pesado e em forma de bomba. Ela e seu marido concluíram que era uma bomba estilo torpedo oficial e foram buscar ajuda. O exército retirou o artefato da casa com o máximo de cuidado, pois ele não estava desativado. Eles descobriram que o antigo proprietário era um colecionador e que, provavelmente, ele ficou com medo de mexer no objeto quando se mudou, deixando a “bomba” nas mãos dos novos proprietários.

Um corpo mumificado – O que poderia ser pior do que encontrar um cemitério embaixo de sua casa? Que tal achar um corpo mumificado? Foi o que aconteceu com o espanhol Jorge Giros, que comprou uma casa na costa da Espanha e achou que foi um ótimo negócio. O que ele não sabia é que o proprietário anterior havia desaparecido misteriosamente um ano antes. O problema foi que o próprio Jorge achou o corpo na sala da casa assim que pôs os pés nela. Mas como é que alguém compra uma casa sem fazer uma vistoria antes? E a imobiliária, achou que o corpo era parte da decoração? Bem, o fato é que ninguém sabe quanto tempo o cadáver ficou lá, mas os pagamentos de hipoteca tinham parado seis anos antes e a casa foi a leilão. Então, a proximidade do local com o mar contribuiu para a mumificação natural do corpo do ex-proprietário. Por isso, ficou lá por anos, intocado, aguardando o novo dono infeliz tropeçar em cima dele. 

*Publicado originalmente em 10/03/2014.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.