Não é segredo que muitos empregadores acessam o perfil público dos candidatos no Facebook para obter informações que ajudem no processo de seleção. Entretanto, parece que essa atividade está se consolidando e indo longe demais, com alguns selecionadores solicitando total acesso à conta e aos detalhes dos concorrentes às vagas.

De acordo com um artigo publicado pelo site de notícias MSNBC, algumas empresas norte-americanas já chegaram a solicitar que os candidatos acessassem as suas contas na rede social durante as entrevistas, pedindo, inclusive, que os nomes de usuário e senhas fossem enviados antes dos processos seletivos.

Além disso, algumas universidades também parecem estar adotando a “espionagem social”, solicitando que atletas com bolsa de estudos se tornem amigos de seus treinadores, para que estes possam controlar as atividades dos alunos fora do campus. A União Americana pelas Liberdades Civis entrou com um pedido para que esse tipo de processo seja proibido, mas até que se crie alguma legislação que estabeleça diretrizes com respeito a essas atividades, os candidatos e estudantes devem decidir se vale a pena ou não se sujeitar a esse tipo de exposição.