(Fonte da imagem: Reprodução/RevistaPlantar)

O grupo PETA (sigla em inglês para Grupo pelo Tratamento Ético dos Animais) está oferecendo um prêmio de US$ 1 milhão para quem inventar a carne artificial até 2013. No entanto, não pode ser apenas um punhado de vitaminas e proteínas, é necessário ter gosto, textura e aparência de carne real.

Com isso, fica a dúvida: é realmente possível criar carne artificial para substituir a animal? Esta questão segue sem resposta definitiva até hoje, mas muitos pesquisadores já tentaram responder a ela — inclusive, alguns deixaram a mente viajar longe, como o cientista japonês que propôs a criação de carne a partir de fezes humanas.

A maior dificuldade encontrada ao fabricar um substituto para as vacas, aves e peixes é a de conseguir sintetizar células com o mesmo gosto, textura e consistência da carne animal. Na maioria das vezes, as tentativas resultam em um alimento pastoso, sem gosto e um tanto quanto nojento.

Já tem gente tentando (e conseguindo) fazer

Apesar do histórico não ser encorajador, os vegetarianos amantes do gosto da carne já podem ficar um pouco mais felizes. Visando o prêmio oferecido pelo PETA, diversos projetos já estão encaminhados e com visões otimistas sobre o futuro da carne.

Uma das pesquisas que mais se destacam é Beyond Meat — do professor Fu-Hung, da Universidade do Missouri. Depois de 10 anos de trabalho, ele e a sua equipe conseguiram produzir carne artificial com gosto e textura de frango, feita com base em produtos naturais, como a soja. Além disso, também é possível cozinhá-la de maneira normal, o que é um grande avanço.

Outro projeto promissor é de um grupo de cientistas europeus, com a pesquisa intitulada LikeMeat. O objetivo deles é o de criar produtos para substituir a carne animal com textura, cheiro, aparência e sabor cada vez mais parecidos com o alimento real. Esta equipe trabalha com diversas matérias-primas e está focada exclusivamente na qualidade do que é produzido.

Fonte: GizModo, LikeMeat, BeyondMeat