(Fonte da imagem: Reprodução/Ccienciaepac)

Apesar de aparecer com frequência em histórias de ficção científica, os lasers já são uma realidade em diversas áreas do conhecimento. Contudo, há uma limitação para a utilidade deles, pois tudo depende da sua potência, do tamanho do seu feixe e até mesmo do modelo do aparelho que o conduz.

Por conta desses motivos, a invenção de cientistas da Universidade do Texas — com parceria de estudiosos da China e de Taiwan — é revolucionária. Eles criaram um aparelho que emite os menores lasers do mundo. Os feixes de luz são tão pequenos que não podem ser vistos a olho nu.

Dessa forma, é possível usar o pequeno laser de diferentes maneiras, impulsionando principalmente a tecnologia e a medicina. A melhoria resultaria em chips de computadores incrivelmente mais rápidos e aparelhos médicos muito potentes na detecção de doenças. 

Além disso, também há previsões para que a área da comunicação seja afetada — embora não haja especificações de quais mudanças aconteceriam.

Fonte: TechFragments