Soylent, a fórmula nutricional que promete ser a comida do futuro
231
Compartilhamentos

Soylent, a fórmula nutricional que promete ser a comida do futuro

Último Vídeo

Nos últimos meses, o engenheiro Rob Rhinehart está vivendo somente de Soylent, uma mistura cremosa que ele mesmo inventou e é composta por vitaminas e minerais. Segundo ele, o produto contém tudo o que o organismo precisa para se sentir plenamente saciado e nutricionalmente balanceado. Mas, mais do que isso, o inventor do produto acredita que ele possa mudar nossos hábitos alimentares.

“Começou como uma necessidade pessoal. Minha dieta era muito pobre. Eu comia refeições baratas e convenientes porque eu realmente não ligava muito para a comida”, revela o jovem de 24 anos que vive em San Francisco, nos Estados Unidos.

Durante cerca de um mês, Rhinehart procurou descobrir tudo de que o corpo precisava para sobreviver. Dessa maneira, a fórmula nutricional que ele desenvolveu contém mais de 30 ingredientes, entre eles uma série de vitaminas e minerais, como cálcio, potássio, zinco, além das vitaminas A, B, C, D, E e K.

Uma possível solução

Os primeiros testes do produto foram realizados por ele mesmo. Em pouco tempo, o engenheiro percebeu que havia ganhado mais energia, havia perdido peso e se sentia satisfeito. E foi ao passar por um bairro de idosos em Atlanta, sua cidade natal, que o jovem pensou que talvez seu produto também pudesse beneficiar pessoas que já não têm mais condições de cozinhar adequadamente.

Rhinehart apresenta diversos argumentos para justificar os benefícios que o Soylent poderia trazer para a vida das pessoas: “Acho que o relacionamento das pessoas com a comida poderia ser mais saudável se fosse uma questão de escolha. As pessoas deveriam focar na sua educação, na sua carreira, na sua paixão. Se cozinhar é a paixão de uma pessoa, ótimo, mas para muita gente não é”. Além de beber a fórmula nutricional regularmente, o jovem consome algumas refeições por semana.

E se a novidade é capaz de atender as necessidades daqueles que não podem, não querem ou não gostam de cozinhar, Rhinehart ainda acredita que Soylent pode ter um papel importante no combate à fome e à malnutrição: “Acredito que isso poderia ter um impacto global, [...] acredito definitivamente isso poderia ajudar de alguma maneira. Acho que podemos abordar esses problemas de muitas maneiras diferentes e vejo o Soylent como parte da ajuda que pode resultar na solução”.

A comida do futuro

Fonte da imagem: Reprodução/Ars Technica

Soylent é, antes de qualquer coisa, prático. O produto é uma mistura em pó – o que facilita e diminui os custos com transporte – que precisa apenas ser misturada com água e óleo e está pronta para ser consumida. Isso despertou o interesse de muita gente e fez com que o engenheiro lançasse em maio deste ano um projeto em um site de crowdfunding para levantar verbas para produzir comercialmente a fórmula.

Em poucas horas, a meta de 100 mil dólares foi alcançada e, até que se esgotasse o prazo, o mais novo empresário americano conseguiu arrecadar 800 mil dólares, o que comprova o interesse de curiosos ou entusiastas do futuro em uma solução inédita para a alimentação.

Atualmente, o produto já soma 1 milhão de dólares em encomendas e a empresa recebeu um investimento de 1,5 milhões de dólares. É possível adquirir a fórmula a partir do site oficial em quantidades que podem durar uma semana, duas semanas ou um mês. Em todos os casos, cada refeição tem um custo de pouco mais de 3 dólares, ou seja, cerca de 7 reais. Com o aumento da produção, o objetivo de Rhinehart é diminuir ainda mais os custos para oferecer um preço mais atraente.

Mas mesmo fazendo sucesso entre os consumidores, é preciso lembrar que não existe nenhum tipo de estudo ou evidência científica que comprove que Soylent pode substituir todas as refeições de maneira eficaz, tampouco de que a mistura possa sobrecarregar o organismo ou causar qualquer problema.

Para garantir a qualidade do produto, Rhinehart e sua equipe seguem melhorando a fórmula com a ajuda do Dr. F. Xavier Pi-Sunyer, que é professor de Medicina na Universidade de Columbia e médico sênior do St Luke`s-Roosevelt Hospital e New York-Presbyterian Hospital e presta consultoria para que o desenvolvimento do Soylent resulte em um produto completo e nutricionalmente rico. A nova versão da fórmula nutricional também ganhou uma coloração esverdeada.

Fonte da imagem: Reprodução/Ars Technica

Os primeiros testes

Boa parte das pessoas que provou o Soylent reclamou do sabor, do cheiro e da textura. O criador do produto deixa claro que essas características não são o foco do desenvolvimento do produto, já que o principal objetivo é criar algo prático, barato e, acima de tudo, nutritivo o suficiente para que uma pessoa possa se alimentar apenas com a mistura.

Os relatos das primeiras pessoas que provaram o produto podem ser encontrados em sites, blogs e em vídeos. Alguns apenas experimentaram, mas outros aceitaram o desafio de passar uma semana inteira se alimentando apenas com Soylent. Porém, uma das cobaias mais corajosas foi Brian Merchant, do site Vice, que passou nada mais nada menos do que 30 dias em uma dieta que se restringia somente à fórmula.

A experiência de Merchant virou até um pequeno documentário em que mostra seu cotidiano, suas impressões sobre a bebida e uma série de entrevistas com o próprio criador do produto, médicos e especialistas de diferentes áreas.

Como conclusão geral, é possível notar que o jovem sentiu falta de mastigar alimentos sólidos. Por outro lado, ele revela que se sentia bem, satisfeito e que o gosto do produto era o que menos importava depois de alguns dias. Em termos médicos, seus exames de sangue não mostraram qualquer alteração, a não ser pelos níveis de vitamina D, que provavelmente diminuíram porque Merchant passou mais tempo enclausurado já que não podia ir a um bar ou restaurante com os amigos.

* * *

Como ainda se trata de uma novidade, não há dúvidas de que a eficácia e a segurança do consumo exclusivo de Soylent dividirão opiniões. Então, nos conte o que você acha disso tudo nos comentários. Você abriria mão da sua alimentação normal por uma alternativa mais prática, mais barata e, quem sabe, mais saudável?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.