(Fonte da imagem: Divulgação/ESA)

O sonho de colonizar a Lua é antigo, mas nunca parece pronto para sair do papel. Ainda assim, isso não impede que cientistas e engenheiros sonhadores construam projetos para bases lunares que seriam realistas e práticas.

A firma Foster + Partners fez uma parceria com a Agência Espacial Europeia para desenvolver um modelo de base lunar barato, seguro e rápido de ser construído. Os trunfos são o uso de impressoras 3D para criar o revestimento das “casas” e o uso do próprio solo do satélite natural como material de construção.

(Fonte da imagem: Divulgação/ESA)

O solo lunar ajuda a conter radiação e estabiliza a temperatura. Por baixo dele, uma construção inflável e devidamente pressurizada seria a moradia dos habitantes da Lua. E já que 90% do material utilizado na construção já está no próprio local, exceto os robôs-impressora, as partes infláveis e alguns conectores.

Os blocos utilizados têm estrutura similar a de uma parede celular, agindo como escudo contra meteoritos e a radiação espacial. Em testes, as máquinas já imprimem até dois metros do material por hora, sendo capazes de montar a base lunar em apenas uma semana – mas, mesmo que ela saia do papel, ainda nem adianta começar a arrumar as malas para a mudança.