O que você faria se tivesse espaço suficiente no quintal da sua casa para construir alguma coisa? Instalaria uma churrasqueira? Uma piscina, talvez? Pois existem por aí pessoas bem excêntricas, como o norte-americano Vince Hannemann, que resolveu montar no fundo de sua casa a Catedral do Lixo.

Localizada próximo à cidade de Austin, no Texas, a obra se encontra no quintal da casa de Hannemann e, apesar de incomodar um pouco os vizinhos, não interfere com a paisagem do bairro e fica totalmente escondida da vista dos pedestres que perambulam pelas redondezas.

Segundo informações do site RoadsideAmerica.com, Hannemann iniciou a construção da catedral no final da década de 80, sem nenhuma pretensão de criar um novo templo ou tipo de religião. O “edifício” se encontra envolto por vegetação tropical e as paredes e demais ambientes são formados por pilhas de utensílios de cozinha, rodas, para-choques, peças de bicicleta, enfeites, relógios, eletrônicos e uma infinidade de outras tralhas.

Cacarecos harmoniosos

De acordo com a publicação, muita gente já reclamou sobre a Catedral do Lixo, e inúmeros engenheiros já visitaram o local com o objetivo de encontrar qualquer fragilidade que leve a uma ordem de demolição. Mas a construção é bem estável e a única parte que teve que ser desmontada foi uma pirâmide feita de televisores velhos — 200 deles! —, que hoje formam um curioso jardim zen.

A maior parte dos materiais que compõem a catedral é proveniente de doações de pessoas que visitam o refúgio de Hannemann, embora não seja qualquer velharia que ganhe espaço dentro do local. O construtor escolhe cada peça a dedo, para que a harmonia do conjunto não seja perturbada.

Hannemann começou a construção da Catedral do Lixo simplesmente porque teve vontade. Ele ainda afirma que, quando decidir que não gosta mais da obra, vai desmontá-la e pronto. Tomara que, quando esse dia chegar, o lixeiro esteja preparado, pois desmontar uma pilha de cacarecos com mais de 60 toneladas vai dar o maior trabalho!

Você pode ativar as legendas em português no menu do vídeo ou assistir a uma versão em alta resolução (em inglês) visitando este link.

Fontes: RoadsideAmerica.com, YouTube e vimeo