(Fonte da imagem: Reprodução/Universidade Purdue)

Existem várias tecnologias em desenvolvimento que apontam para a possibilidade das dolorosas injeções estarem com os dias contados, tais como um dispositivo que injeta medicamentos por meio da força magnética e jatos de ar em alta velocidade que empurram as drogas através da pele, por exemplo.

E, de acordo com o site Gizmag, pesquisadores da Universidade Purdue, nos Estados Unidos, estão trabalhando em uma supersimples tecnologia nesse sentido, que administra drogas através de BAND-AIDS em vez de usar agulhas, através de um método praticamente indolor.

BAND-AID e nanoagulhas

Os pesquisadores desenvolveram uma fita adesiva que conta com diversas camadas de um polímero flexível e, entre uma dessas camadas, os cientistas criaram uma espécie de câmara contendo açúcar e fermento biológico. Quando essas substâncias entram em contato com a umidade e o calor da pele, elas entram em fermentação, liberando CO2 que faz com que a câmara interna da fita se expanda e exerça pressão sobre as demais camadas e a pele.

O sistema contaria com nanoagulhas que administrariam o medicamento sem que o paciente sequer percebesse as picadinhas, com uma tecnologia que, embora não seja totalmente inédita, é extremamente de baixo custo e fácil de desenvolver.

Fontes: Gizmag e Universidade Purdue