Seja o primeiro a compartilhar

OVNI visto no Nordeste era foguete de missão chinesa à Lua

Era um disco voador? Um meteoro? Cometa, balão, drone? Estas foram algumas das possibilidades comentadas por quem viu um estranho objeto no céu da região Nordeste, no início da noite dessa segunda-feira (23), e encheu as redes sociais de fotos, vídeos e comentários, relatando o avistamento. Mas nenhum dos internautas estava certo.

Conforme o astrônomo Dennis Weaver, em entrevista ao G1, o objeto voador não identificado (OVNI) visto ontem no céu de alguns estados do Brasil era, na verdade, um objeto bem identificado. Trata-se do foguete chinês que havia sido lançado poucas horas antes, impulsionando a mais recente missão do país asiático à Lua.

Ele explica que o clarão visualizado pelos moradores, em forma de nuvem, é fruto da ejeção dos gases responsáveis pelo empuxo necessário para a espaçonave sair da atmosfera terrestre. Já em relação a se tratar do equipamento da China, Weaver informou que a confirmação pode ser feita cruzando as informações da rota dele.

https://twitter.com/Astronomiaum/status/1331024143287005185

O avistamento da nave no Brasil foi possível porque a rota da sua trajetória para sair da atmosfera previa passar acima da América do Sul, de acordo com o astrofísico do Observatório Nacional Nicolas Oliveira. Quanto à visualização do objeto brilhante apenas no Nordeste, a explicação é simples: escurece mais cedo na região.

Missão Chang’e 5

Lançada do Centro Espacial de Wenchang, na ilha de Hainan, a missão impulsionada pelo Long March 5 dá continuidade ao projeto iniciado em 2019 pela China, que prevê a construção de uma estação de pesquisa internacional na Lua, até o final desta década.

A sonda Chang’e 5 lançada agora foi projetada para coletar poeira, rochas e outros fragmentos lunares. Ela possui a capacidade de escavar o solo a uma profundidade de até 2 metros para pegar tais materiais, além de enviá-los de volta à Terra para análise, trabalho que permitirá descobrir como o satélite natural evoluiu. Será a primeira missão do tipo em mais de 40 anos.

Lançamento da missão Chang'e 5. (Fonte: XinhuaNet/Reprodução)
Lançamento da missão Chang’e 5. (Fonte: XinhuaNet/Reprodução)

Conforme o cronograma da viagem, a espaçonave deve chegar à superfície lunar até o final de novembro, pousando próximo ao monte Rümker, área ainda inexplorada. O módulo de retorno à Terra decolará após a realização das coletas, chegando por aqui em meados de dezembro.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.