Cientistas pesquisam sons misteriosos vindos do céu

Cientistas pesquisam sons misteriosos vindos do céu

Último Vídeo

Na reunião da American Geophysical Union realizada virtualmente no início deste mês (7), uma equipe de pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill anunciou resultados de seus estudos sobre relatos de ruídos de explosões não identificados nos Estados Unidos.

Esses barulhos, que algumas vezes são acompanhados por terremotos, são normalmente descritos como um som de assobio ou de trovão, e ocasionalmente estão relacionados a baixas temperaturas.

A pesquisa foi feita em virtude de um número incomum de relatos desse tipo de ocorrência em todo o mundo. Entre elas, há o registro de um ruído semelhante à respiração do Darth Vader, ouvido por pessoas em Bratislava, na Eslováquia, e um estrondo inexplicável percebido por moradores do Texas.

No entanto, a maioria desses relatos foi explicada pelo silêncio profundo ocorrido durante o bloqueio social determinado pela pandemia da covid-19, quando muitos sons meteorológicos de fundo, como ventos e trovões, deixaram de ser “abafados” pelo barulho do tráfego e das viagens.

Barulhos inexplicáveis no mundo

Sons estrondosos não se limitam somente aos Estados Unidos: no delta do rio Ganges e baía de Bengala, na Índia, existem as “armas Bansal”; ou o ruído “yan” em Shikoku, no Japão; ou os “mistpouffers”, umas explosões ouvidas no oceano, através da névoa, na Bélgica.

Como houve uma frequência muito alta de relatos de ruídos na Carolina do Norte, os pesquisadores universitários em Chapel Hill resolveram comparar todas as ocorrências desde 2013 com o ESTA, EarthScope Transportable Array, uma ferramenta que registro dados sísmoacústicos.

Concluída a pesquisa, a equipe de cientistas não encontrou nenhum tipo de coincidência entre eventos e terremotos. Falando ao site Live Science, o líder do estudo, Eli Bird, afirmou ser possível que se trate de um fenômeno atmosférico, e não “proveniente de atividade sísmica”.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.