7 serial killers que foram assassinados na prisão

Existe uma categoria especial na lista de assassinos famosos ao redor do mundo: os que foram capturados, mas acabaram mortos no cárcere por outros prisioneiros pelos mais variados motivos.

Essas figuras estavam  condenados a grandes períodos de tempo, incluindo sentenças perpétuas, ou aguardavam a pena de morte em países com essa legislação. Porém, eles tiveram a carreira e a própria vida encurtadas por brigas ou em circunstâncias misteriosas. A seguir, conheça alguns dos casos mais famosos.

Jeffrey Dahmer

O serial killer, além de matar as vítimas, também praticava necrofilia e canibalismo. Ele foi preso após 17 assassinatos e condenado em 1992, cumprindo prisão perpétua na Columbia Correctional Institution, nos Estados Unidos.

Ele foi morto em novembro de 1994 por outro detento, Christopher Scarver, enquanto ambos faziam um trabalho de limpeza nos banheiros da prisão.

Dahmer.Dahmer (Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Dahmer foi golpeado repetidas vezes com uma barra de metal e não resistiu aos ferimentos durante o transporte para um hospital. Scarver foi diagnosticado com esquizofrenia e alegou ter ouvido vozes para cometer o crime, mas depois mudou a versão e disse ter sido provocado por Dahmer.

Richard Loeb

Você pode não conhecer Loeb pelo nome, mas já pode ter visto um filme baseado em seu crime. Junto do colega da universidade Nathan Leopold Jr., ele assassinou um em 1924 um jovem na tentativa de cometer o chamado "crime perfeito", que provaria a capacidade intelectual superior dos dois ao esconder o ato — o que não deu certo, já que a investigação chegou aos dois, que confessaram posteriormente.

LoebLoeb (Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Loeb foi assassinato com mais de 50 golpes de navalha por outro presidiário em 1936. A história do crime cometido pela dupla serviu de base para histórias como a de Festim Diabólico, filme de 1948 dirigido por Alfred Hitchcock.

Albert DeSalvo

O "estrangulador de Boston" estuprou e matou 13 mulheres nos Estados Unidos entre 1962 e 1964. Ao ser preso e condenado a prisão perpétua, participou de várias tentativas de fuga na prisão, todas mal sucedidas.

DeSalvo.DeSalvo (The Boston Globe/Reprodução)

Ele foi morto em uma prisão de segurança máxima de Massachusetts sob circunstâncias misteriosas, possivelmente por outro prisioneiro e horas antes de uma consulta com o médico para falar algo importante sobre o próprio caso.

Thor Nis Christiansen

Thor.Thor (Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Nascido na Dinamarca, Thor cometeu crimes depois de se mudar para os Estados Unidos —  os chamado "assassinatos de Isla Vista", por causa da localidade na Califórnia. A mulher que seria a quinta escapou durante o ataque e, mais tarde, ajudou a reconhecer o rapaz como o criminoso. Ele morreu na famosa Folsom State Prison em 1981, esfaqueado por um prisioneiro não identificado.

Léopold Dion

O serial killer e estuprador mais temido do Canadá ficou conhecido como "o monstro de Pont-Rouge", ao todo fazendo quatro vítimas fatais e com mais de 20 crimes sexuais confessos contra jovens rapazes.

Dion.Dion (Fonte: Psycho-Criminologie/Reprodução)

Dion foi assassinado por outro prisioneiro, Normand Champagne, conhecido como Lawrence d'Arabie. Posteriormente, Normand foi inocentado do crime por alegações de insanidade.

Donald Harvey

O médico conhecido como "Anjo da Morte" foi o responsável por no mínimo 50 assassinatos enquanto trabalhava em hospitais de Cincinnati e do Kentucky, especialmente na década de 1980. Harvey misturava substâncias venenosas na comida de pacientes e removia o suporte ao oxigênio em alguns casos mais graves. 

Harvey.Harvey (Fonte: Criminal/Reprodução)

Ele foi morto em 2017, em um presídio em Toledo, por um detento que queria "trazer um pouco de paz de espírito para as famílias das vítimas".

Charles Schmid

O "Flautista de Tucson" era um serial killer de adolescentes que tinha como modus operandi atrair as vítimas na porta de colégios, chamando para um encontro. Ele matou três jovens e a prisão recebe muita cobertura midiática, especialmente pela aparência do assassino. Schmid conseguiu escapar da prisão em 1972, mas foi recapturado junto de outros detentos durante uma situação com reféns em uma fazenda.

Schmid.Schmid (Fonte: Life Magazine/Reprodução)

Ele foi morto em uma emboscada por dois presidiários em 1975, na Arizona State Prison, e morreu depois de 20 dias em decorrência dos ferimentos.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.