Quantas vezes você teve uma ideia genial enquanto estava no banheiro ou fazendo qualquer coisa inútil? Sabe aqueles projetos que surgem misteriosamente em sua cabeça em momentos inoportunos, mas nunca dão as caras quando você está sentado em frente ao computador para transformá-los em realidade? Pois eles são uma verdade científica, e não uma prova de que você não nasceu para o trabalho.

Dois cientistas decidiram pesquisar esse curioso fenômeno e chegaram à conclusão de que realmente temos as melhores ideias quando não queremos tê-las. De acordo com Mareike Wieth e Rose Zack, responsáveis pela descoberta publicada no sob o título de “Time of day effects on problem solving: When the non-optimal is optimal” ("Efeitos da hora do dia na resolução de problemas: quando o não ideal se torna ideal", em tradução livre), o ato de não fazer nada nos deixa mais distraídos, o que estimula a parte criativa do cérebro.

Em resumo, nossas melhores ideias surgem quando somos menos produtivos — algo que todo mundo já comprovou empiricamente. Para testar a veracidade de sua teoria, os pesquisadores pediram que voluntários respondessem a uma série de perguntas, sendo algumas bem complexas e que demandavam mais tempo para processar o conteúdo, e outras mais diretas. O resultado mostrou que o fluxo de ideias foi muito maior quando as questões mais simples surgiam.

A conclusão foi possível exatamente a partir desse ponto de vista. Sem se preocupar com o teor das perguntas e sua complexidade, os participantes se sentiam mais à vontade para explorar pontos que surgiam à medida que eles falavam.