Os principais chás e seus benefícios para a saúde
35
Compartilhamentos

Os principais chás e seus benefícios para a saúde

Equipe MegaCurioso

Crédito: Shutterstock

A tradição de preparar infusões com ervas, flores e frutas é milenar. Sendo assim, os chás atravessaram gerações e continuam entre as opções mais apreciadas em todo o mundo. No entanto, mais do que uma bebida ideal para ser consumida durante o ano todo, cada tipo de chá pode trazer diferentes benefícios para a nossa saúde.

Saborosos e saudáveis, os chás podem ser incorporados à dieta para ajudar a acelerar o metabolismo, desintoxicar o organismo ou proporcionar relaxamento após um dia agitado e cansativo. Além disso, cada erva possui propriedades especiais, que vão desde a ação antioxidante até a diminuição de desconfortos abdominais, por exemplo.

Com tantas vantagens, não tem desculpa para não tomar ao menos uma xícara de chá pouco antes de dormir. Certamente as propriedades da bebida trarão ótimos resultados para o seu organismo da maneira mais saudável e natural possível.

As propriedades dos chás

Além de ser uma bebida saborosa, cada chá pode trazer uma série de benefícios para o seu corpo e dar aquela ajudinha na hora de emagrecer, relaxar ou melhorar a digestão. O TodaEla conversou com o nutricionista Claudio Souza, que nos explicou melhor quais são as principais funções dos chás e como eles agem no organismo.


Crédito: Thinkstock

Chás diuréticos

São aqueles que auxiliam no funcionamento dos rins, ajudando na excreção dos resíduos metabólicos produzidos pelo corpo. Por incentivar essa eliminação de resíduos, os chás diuréticos costumam contribuir bastante para o emagrecimento.

As ervas diuréticas mais recomendadas são chá branco, chá preto, chá verde, chá vermelho, erva-cidreira e carqueja.

Chás calmantes

São aqueles que têm o poder de diminuir a atividade do sistema nervoso central, atuando no relaxamento muscular e provocando a diminuição da ansiedade e do stress corporal. Para aproveitar melhor os efeitos, o nutricionista Claudio Souza recomenda que esse tipo de chá seja ingerido a noite, pouco antes de dormir.

As ervas calmantes mais recomendadas são erva-doce e camomila.

Chás antioxidantes

As constantes reações químicas que acontecem no nosso corpo podem desencadear a formação de radicais livres, que são elementos que causam danos ao nosso organismo, resultando principalmente no envelhecimento. Os flavonoides, presentes em vegetais, frutas e chás, têm o poder de combater os radicais livres e, assim, impedir o envelhecimento das células.

As ervas antioxidantes mais recomendadas são chá branco e hibisco.

Chás estimulantes

Enquanto os chás calmantes atuam para diminuir a atividade do sistema nervoso central, as ervas estimulantes agem na mesma região para aumentar os impulsos nervosos, consequentemente, acelerando o fluxo sanguíneo, os batimentos cardíacos e a pressão arterial. O objetivo da ingestão desse tipo de chá é provocar uma melhora na disposição para realizar as atividades do dia a dia. O elemento que desencadeia essas reações é a cafeína. Por serem bebidas que concentram grandes quantidades de cafeína, o especialista recomenda que o consumo seja feito apenas no período da manhã e da tarde para não influenciar no descanso noturno.

As ervas estimulantes mais recomendadas são chá verde, chá preto e erva-mate.

Crédito: Shutterstock

Chás digestivos

Após as refeições, é comum que algumas pessoas relatem o surgimento de um desconforto gastrointestinal. Esse incômodo pode ser causado por alimentos específicos ou até mesmo por intolerância à gordura presente em alguns pratos. Dessa maneira, esses chás contribuem para auxiliar no processo digestivo e eliminar os desconfortos. Esse tipo de bebida também ajuda a eliminar impurezas do organismo, especialmente do fígado, servindo também como uma ótima aliada para a desintoxicação.

As ervas digestivas mais recomendadas são camomila, boldo, hortelã, carqueja, chá vermelho e chá verde.

O poder de cada elemento

Além das características diuréticas, calmantes, antioxidantes, estimulantes e digestivas, existem diversas ervas que possuem propriedades específicas que podem contribuir muito para a saúde do organismo. Para entender melhor casa um desses benefícios, o TodaEla conversou com a nutricionista Carolina Morais, que nos explica a ação das ervas mais comuns.

  • Alecrim: além de ser um poderoso cicatrizante, também tem função digestiva e auxilia no tratamento de gastrites.
  • Alho: com efeito antiinflamatório, o alho ajuda a diminuir a taxa de colesterol e age contra tosses e resfriados em geral.
  • Boldo do chile: uma poderosa erva para auxiliar no processo digestivo e trazer conforto para aqueles que sofrem com a azia e a gastrite.
  • Camomila: além do seu conhecido efeito calmante, a camomila aumenta a atividade antibacteriana e suaviza cólicas através da diminuição dos espasmos musculares. É indicada para gestantes e mulheres que estão amamentando, pois evita as cólicas dos bebês.

Crédito: Shutterstock

  • Canela: a canela tem o poder de acelerar o metabolismo e melhorar no funcionamento da insulina. Pode ajudar a diminuir cólicas leves e gases, além de dar uma sensação de plenitude gástrica.
  • Cavalinha: a erva ajuda eliminar os líquidos retidos e, consequentemente, diminui os inchaços. Também é rica em minerais, especialmente o silício, que contribui para a saúde da pele.
  • Erva-cidreira: além de amenizar as cólicas abdominais e gases, a erva-cidreira tem o poder de relaxar o sistema nervoso, favorecer o sono e diminuir a ansiedade.
  • Hibisco: o chá da flor do hibisco é conhecido por sua ação antioxidante, que previne o envelhecimento das células, além de ser diurético e melhorar a circulação sanguínea.
  • Hortelã: ideal para diminuir os desconfortos gástricos, a erva é digestiva e estimulante. Ainda pode atenuar dores de cabeça e diminuir a ansiedade.

A melhor maneira de preparar o seu chá

Para aproveitar melhor os benefícios de cada um dos chás, é preciso prestar atenção a alguns detalhes na hora de prepará-los. Por esse motivo, a nutricionista Carolina Morais nos explica a maneira ideal de preparar a bebida.

De acordo com a especialista, existe uma diferença entre plantas moles e duras. As ervas moles – que são as flores e ervas mais macias e quebradiças – devem ser preparadas através da infusão. Já para as ervas duras – que são aquelas mais enrijecidas, como a cavalinha, por exemplo – a nutricionista recomenda o preparo por decocção. Para os dois métodos, a proporção deve ser de 1 colher de sopa da erva, flor ou fruta fresca ou desidratada para cada litro de água.

Na infusão, a água deve ser fervida até atingir o ponto de ebulição, em seguida, desligue o fogo, acrescente as ervas e deixa a preparação descansar por alguns minutos. A especialista nos lembra de que quanto mais tempo a bebida ficar descansando, mais acentuado ficará seu sabor. Na decocção, espere até que a água alcance seu ponto de ebulição, acrescente as ervas e tampe o recipiente. Abaixe o fogo e mantenha assim por cerca de 5 minutos.

Crédito: Thinkstock

Depois de prontos e coados, a melhor maneira de acondicionar os chás é em garrafas de vidro. Para que fiquem ainda mais saborosos e refrescantes, eles podem ser guardados na geladeira e bebidos frios ou batidos no liquidificador com frutas de sua preferência.

A última dica de Carolina Morais é preferir sempre as ervas frescas ou desidratadas na hora de preparar seu chá. Isso porque os chás industrializados, que vem em saquinhos, costumam ter a adição de antifúngicos para aumentar sua validade.

. . . . .

Por fim, procure sempre um nutricionista quando optar por incluir os chás em sua dieta. Assim, você receberá as melhores indicações para alcançar seus objetivos de maneira saudável, sabendo exatamente a maneira como combinar as ervas, a quantidade e o horário certo para tomá-las, aproveitando todos os seus benefícios.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.