Donald Weber é um fotógrafo que procura um caminho de trabalho um pouco diferente do “normal”, sendo que o seu objetivo é criar imagens que contem uma história. Por conta disso, ele decidiu contestar através de fotografias o “mundo atômico” em que a sociedade está vivendo.

O seu primeiro trabalho do gênero foi na área próxima do acidente que ocorreu em Chernobyl. Ele registrou a maneira como as famílias afetadas pelo acidente vivem, o abandono da região e os problemas que a radiação causou.

Agora, o fotógrafo visa mostrar no que resultou a tragédia de Fukushima, que aconteceu no início de 2011. Weber mostrou que o abastecimento de luz em Tóquio está baixo, que há ruas desertas e sujas, casas que foram abandonadas às pressas e até mesmo um cadáver — o que resulta em um cenário digno de um filme pós-apocalíptico.

Problema japonês poderia ter sido evitado

Como você já deve ter visto aqui no Tecmundo, a tragédia de Fukushima poderia ter sido evitada. O grande problema foi que as vistorias feitas na usina atômica alegaram que o local estava preparado para enfrentar grandes desastres naturais.

Contudo, isso não era verdade, sendo que a usina só não foi reformada pelo costume dos japoneses de seguir fielmente os planos e pela relutância em contestar autoridades. Sabendo disso, ver o trabalho de Weber acaba por ser duas vezes mais triste.

Fonte: VICEThe High Definite e Gizmodo